O que é um coxinha? – O Significado Definitivo

2 set

Em primeiro lugar, preciso dizer que eu, como a esmagadora maioria do povo heroico desta pátria amada, amo coxinha (s.f. quitute). Desde as do Veloso até as do boteco da Vieira de Morais que divide a estufa com o ovo rosa.

Muito se fala sobre os coxinhas (s.m. tipo de ser humano). A gíria nasceu em São Paulo , que é, por si só, o maior reduto de coxinhas do Brasil. O que pouca gente sabe é o que é de fato um famigerado coxinha, e foi por isso que eu resolvi escrever esse texto e delimitar um significado definitivo pra essa gíria.

“Significado definitivo? Que moleque pretensioso!”, diria você, caro leitor. Mas “definitivo” é o tipo de palavra que os coxinhas adoram. Eles gostam de limitações, definições, certezas. Se tem um tipo de gente que não troca o certo pelo incerto, são os coxinhas. Tudo que um representante nato da categoria mais quer é constituir família, sustentar a mulher e os filhos, e que todos tenham boas notas no colégio e que vão pra Disney todo ano.

No fundo, o coxinha quer uma vida que os jovens de várias gerações lutaram para poder NÃO ter. Mas nem todos admitem isso. A verdade é que o coxinha não gosta de se arriscar. Em nada. Pra não ter perigo de errar, pra não deixar de ser querido, etc. O pastel, por exemplo, abre possibilidades para todo tipo de recheio. A coxinha, não. Nunca. É frango desfiado e só. Catupiry, se muito, dá o ar da graça. E pedir uma coxinha sempre é menos arriscado do que pedir um bolovo, por exemplo.

O coxinha não toma bomba no colégio e raramente tranca uma faculdade. O que ele quer é “ingressar no mercado de trabalho”. A primeira vez que o coxinha bate ponto, ele quase tem um orgasmo. É a construção do seu futuro e da vida empanada que sempre planejou. A mamãe do coxinha se contorce de orgulho do filho, ainda mais quando – depois de já estar empregado e casado com uma boa moça – ele lhe dá o primeiro neto.

O coxinha adora o Coldplay e acha incrível a filantropia do Bono Vox. Na literatura, ele sempre recomenda para a roda de colegas no almoço da firma todos os livros do ranking da Veja. E, se falar de cinema, o coxinha divagará sobre grandes trilogias (as quais comprou em boxes, na Fnac). Todos seus gostos e interesses são baseados em unanimidades. Porque, se não dá para agradar a todos, o coxinha tenta agradar pelo menos à maioria.

A camisa polo, símbolo máximo do gênero, é outra forma de destoar o menos possível. Ela não é nem casual demais para uma festa, nem formal demais para um passeio no parque. Então, o coxinha deita e rola. Suéter enrolado no pescoço também é um bom complemento para as meias estações do coxa, mas não é obrigatório. Ah, e o coxinha chama tênis de sneaker para fazer de conta que um é diferente do outro.

Ao contrário do que se pensa, a condição coxinha não tem necessariamente a ver com dinheiro. Existem coxinhas que ganham 100 mil reais por mês e coxinhas que sustentam a família feliz com quatro salários mínimos.

Metódicos, os coxas povoam avenidas movimentadas como a Faria Lima e a Berrini. E seus olhos chegam a ficar marejados quando passam com seu sedan prata na ponte estaiada. “Esse é o símbolo da nossa cidade, a locomotiva do país”, diria o coxinha para o seu filho que já tem a cara do pai, só que numa versão buffet infantil.

E engana-se quem acha que a tribo dos coxinhas se limita aos escritórios cinzas. Eles podem estar em toda parte: nas artes, nos esportes, na medicina e, muito frequente a partir dos anos 2000, na publicidade. Quando você vir o comercial de um banco com pessoas sorridentes e narrador com timbre épico, pode ter certeza: tinha um coxinha na reunião de brainstorming que, depois de contar sua “ideia genial”, foi aplaudido por mais meia dúzia de coxinhas.

Pra terminar, digo que um coxinha jamais faria mal pra você enquanto indivíduo. O problema é o impacto social dos coxinhas que, sem declararem nada, acordam todos os dias e vestem suas camisas azuis-bebê na busca pela extinção da ousadia e por uma sociedade oleosa e simétrica. Uma grande coxinha.

 

About these ads

407 Respostas to “O que é um coxinha? – O Significado Definitivo”

  1. Licia setembro 2, 2012 at 6:11 pm #

    HAHAHAHAHA

    • Giovani Bonacera janeiro 19, 2014 at 7:19 pm #

      O que foi descrito é simplesmente o “PEQUENO BURGUÊS”; não a pessoa, mas a ideologia do “PEQUENO BURGUÊS”.
      Pessoal, vocês precisam LER mais, terem maiores INFORMAÇÕES sobre o que se passa ou passou na história do mundo. Ficar na Internet assistindo pornografia não tem como se informar, ou então ficam inventando apelidos idiotas como esse de “coxinha”; atitudes que já existem há muito tempo.

      • tessalia aragao maio 14, 2014 at 5:59 pm #

        Estou transtornadissima!!!!!!!!!!! Acabei de identificar todos os sintomas da descrições acima num colega meu de serviço… o cara e um desses recem formado em Direito que quer tudo certinho e pra piorar e meio afeminado (dizem as más linguas gay enrustido), porem discreto ate o ultimo… ele e bonito e atraente… mas e tão nulo que dá ate raiva…ate o perfume dele não podia ser mais coxinha e tão suave que parece agua de cheiro…O cara não se manifesta pra nada… sempre em cima do muro… a unica vez que vi ele nervoso foi um dia que um macho aqui do trampo passou a mao na bunda dele (ele perdeu a compostura pq achou que mascara de hetero dele tinha caido)… então armou um escandalo e ameaçou ate coloca-lo na cadeia…. Aff!!!!!!!!!!! Sem falar eu agora que entrou uns estagiarios xaropes aqui no Departamento ele agora fica pagando de estudioso com um livro pra falar que e intelectual… Eu sinto pena desse cara…e sobre as camisas polo: realmente e engraçado como eles gostam dessa peça cafona e quem deixa o cara um porre!

        Tessalia ARagao– rodada na pica dos manos!

      • Jacqueline junho 1, 2014 at 2:48 pm #

        Concordo com vc Giovani…nunca li tanta idiotice juntas…bem coisa de esquerdista…invejoso…que adora criticar quem vai bem…quem luta TRABALHANDO por seus sonhos…..só faltou usar o termos Classes dominantes….ou elite esmagadora ou opressora …coisa de gente recalcada…com toda certeza…..isso é muito nada a haver…os esquerdistas é que gostam de julgar as pessoas mais pregam a diversidade de gêneros…sexualidade e tudo o mais….qdo eles vejam um cara se dando bem, dai malham o pau…chamam de coxinha…só por que o cara gosta das coisa certas ..olha!!! Qto mais vejo os esquerdistas mais tenho certeza que este país não tem mais jeito!!

    • Lucas Lucas março 11, 2014 at 4:54 pm #

      O dada e o anti-dada são a mesma coisa…

    • deia junho 2, 2014 at 10:52 am #

      depois de tudo que sofri na vida, não ter conseguido terminar a faculdade, devido a falta de recurso financeiros, grande esforço tive, mas minha mente é fraca, desorganizada, patologicamente, não é preguiça, seria um sonho p mim se eu fosse um coxinha, conforme descrito acima!Parece que eles conseguem ter a vidinha arrumada, não fazem mal a ninguém, orgulho da mamã… então… qual o problema que existem assim?

  2. Susie Vieira novembro 26, 2012 at 3:40 pm #

    Obrigada! Eu sempre quiz saber isto!

    • Luiz janeiro 11, 2014 at 1:41 am #

      Ah você sempre QUIS né. Legal…

      • mariolemes janeiro 11, 2014 at 2:00 am #

        Aqui no meu blog, Luiz, aqui nos comentários do meu blog, erros gramaticais e ortográficos estão mais que liberados. Eu, o dono do blog, não estou nem aí para se a pessoa quis com Z ou com S. Aqui (e acredito que NA VIDA), o que mais importa é conseguir se comunicar. E não será um protótipo de Professor Pasquale que cantará de galo para nenhum dos leitores. Eu, autor deste texto que você leu acima e de todos deste blog, também cometo erros (de português e de moral) e acredito que você também os cometa. Todos cometemos. E, desde que consigamos nos fazer entender, acho que está tudo certo. Pra mim, está certo. Você deveria lembrar que tem muita gente que faz o mim conjugar verbo que está melhor que você, e parar de querer se sobressair corrigindo erros tão irrelevantes das outras pessoas.

        Susie Vieira, obrigado pela leitura.

  3. Franceis janeiro 24, 2013 at 3:41 pm #

    Sábia definição.

  4. Mariana Valente março 5, 2013 at 1:03 pm #

    Ai cara quanto clichê. E imagino que o autor se ache toooodo o oposto de um coxinha, vivendo de freela e amando Big Bang Theory

    • mariolemes março 5, 2013 at 3:08 pm #

      Cara leitora,
      me entristece muito esse negócio das pessoas partirem do princípio de que para criticar ou analisar alguma coisa, precisa-se ser o extremo oposto dessa coisa. Por que caralhad o sujo NÃO PODE falar do mal lavado? Enfim, você errou. Já vivi de freela, sim, mas hoje, veja bem, tenho carteira assinada e não tenho nenhum problema com isso. Já vi muitos episódios de tbbt mas não é nem de longe minha série preferida. ENFIM, já que você quis ser preconceituozinha birrenta e me julgar pelos seud conceitos, também serei: pra mim, você se sentiu descrita no texto e, insegura como só, resolveu me atacar. Grande abraço empanado pra você.

      • Osíris maio 15, 2013 at 3:14 pm #

        Se você não for fã de black keys e/ou two door cinema club e não tiver um Ray Ban way-farer guardado no móvel ao lado da cama eu furo o mamilo com uma agulha de tricô.

      • mariolemes maio 16, 2013 at 3:28 am #

        Pode furar. Só lembre de esterilizar a agulha antes pq vc pode pegar uma doença tipo tétano e morrer.
        O que seria uma pena.

      • maio 15, 2013 at 5:44 pm #

        kkkk… adorei a resposta, Mario! E no fundo somos todos um pouco de tudo, até mesmo coxinhas. E por que não rir sobre isso, né?

      • Marina silva maio 16, 2013 at 1:58 pm #

        Pô pra mim conta. Só ia levar a sério seu texto se você fosse um transexual poliamorista vivendo numa comunidade alternativa, mas um cara que têm sigla para series de tv e provavelmente uma camiseta escrita Bazinga é foda.

      • Carolina maio 16, 2013 at 6:00 pm #

        Mario, conheci seu blog hj e estou me divertindo com seus textos. Agora, minha opinião: de médico e coxinha todo mundo tem um pouco! hahaha

      • Marianticoxas maio 16, 2013 at 6:18 pm #

        hahahahahahah tbm acho. Que dó.. É triste o preconceito e as cabeças quadradas empanadas.

      • Igor maio 16, 2013 at 11:27 pm #

        Cheirinho de recalque

      • Edson maio 17, 2013 at 3:02 am #

        Caro Mario Lemes. Sem sombras de dúvida, você escreve extremamente bem. Seu humor é capcioso e atento aos detalhes. Todavia, acredito que você deveria se deter mais aos comentários das pessoas que se dispuseram a ler o seu texto. Existem resposta exacerbadamente contundentes e contextualizadas e não seria perda de tempo pensar acerca do porquê as pessoas se manifestarem veementemente contrárias a ele (texto). Outrossim, pensar sobre a maneira dual como construímos nossas visões e concepções de mundo seria igualmente interessante. Caíamos no erro epistemológico de pensar as coisas sempre em contraposição de outras. Poderíamos pensá-las de maneira dialética e dialógica ou, porque não, complementares. Dito isso, não escrevo para criticá-lo, pelo contrário. Escrevo para agradecê-lo. Seu texto será amplamente discutido em minhas aulas na Universidade, posto que o mesmo reflete não apenas o que o senso comum preconiza, mas “todos” os preconceitos velados que constituem a nossa sociedade. Em uma “pequena brincadeira bem escrita”, você nos forneceu um rico material de análise. Sem mais, continue escrevendo bem e nos nutrindo com material para futuras discussões .

        Um abraço meu caro!

      • mariolemes maio 17, 2013 at 3:15 am #

        Que bom que, de alguma forma, mesmo que torta, meu texto lhe foi útil.
        Eu não me importo com as críticas em si. Aliás, acho muitas delas ótimas.
        O que me tira do sério é acharem que eu tenho alguma obrigação política, sociológica, filantrópica ou qualquer que seja dentro do MEU blog.
        As únicas obrigações que tenho aqui são aquelas que eu mesmo me coloco.
        Você não vai almoçar na casa do seu amigo e diz que ele não pode por os cotovelos na mesa.
        A casa é dele. A mesa é dele. O cotovelo é dele.
        Ele os põe onde bem entender.

      • Maurício junho 19, 2013 at 11:14 pm #

        não diria que regar a vida a faculdade cara paga pelos pais, tours pela Europa e grife hype seria muito diferente. não ser coxinha mas se aproveitar de pais que são é mais nobre que ser um?
        quem sabe presta vestibular pra faculdade pública, reforma o guarda roupa com havaianas e roupas da 25 de março, vai viver em república e dos teus rendimentos. Daí quem sabe tu pode ter “a vida que os jovens de várias gerações lutaram para ter”

      • Natasha Tardia junho 30, 2013 at 11:55 pm #

        exato!

      • JULIANA LIMA setembro 11, 2013 at 2:59 pm #

        Arrasou Mário. Virei fã!

      • fidelix florencio outubro 6, 2013 at 10:21 pm #

        preconceito é só quando direcionado a alguma minoria né..
        como se você não tivesse estereotipado ninguém nem sido nada preconceituoso nessa sua descrição pouco inteligente…

      • Jules Pondé janeiro 21, 2014 at 4:57 pm #

        Você é tosco.

    • geraera maio 16, 2013 at 5:54 pm #

      hahaha … bom comentário. mas tenho que admitir que a definição foi boa e o texto mto bem articulado.

    • lara lara maio 16, 2013 at 7:51 pm #

      http://f5.folha.uol.com.br/humanos/1269606-frequentadores-do-coachella-fingem-conhecer-bandas-que-nao-existem.shtml ,,,, quando casar e tiver filhos isso passa!

    • Ricardo César Serrazes Araujo junho 19, 2013 at 4:57 pm #

      Também achei um texto clichê e chato. Típico texto que se encontra aos montes por aí, pela maneira como foi escrito, modificando-se apenas a temática, no caso, o coxinha. Seria bom se qualquer pessoa que se mete a escrever soubesse que o tempo do mais-do-mesmo já acabou. Teve uma fase de começo e meio de internet assim, mas já deu. Isso se estende para o humor de stand up, para o cinema, para todas as coisas. Quero dizer: o coxinha típico compra os boxes de trilogias a Fnac. Quase tem um orgasmo quando bate ponto. E todas as definições que mostram um lado plausível a qualquer ser humano. Acabou-se a época da generalização, precisamos escrever pensando e pensando muito. Se um texto sai rápido, engraçado e fácil, é bom tomar cuidado. Com a internet e a globalização o espectador cada vez mais vê, do outro lado do mundo, um pouco do outro que é parecido consigo. O verdadeiro “coxinha” talvez exista, puro, autêntico. Mas duvido que ele seja apenas isso. Inclusive eu diria, com propriedade e conhecimento, que muitos daqueles que poderiam ser considerados os opostos ao sujeito em questão – um radical, revolucionário, que não se prende a regras e mesmices – precisaram apenas ficar sem mesada para se tornarem belos coxinhas.

      • Paola julho 12, 2013 at 2:56 pm #

        Adorei, Ricardo. Especialmente depois de (…) E todas as definições que mostram um lado plausível a qualquer ser humano (…)”

        Sinceramente, eu, que sempre paguei todas as minhas contas – incluindo viagens, meu teto etc – fico muito feliz quando sinto um pouquinho da tal “estabilidade” financeira em um emprego, mesmo que seja uma ilusão. mesmo eu querendo, um dia, ter meu próprio negócio ou ser autônoma – não nos enganemos, tudo tem seus percalços. “Bater ponto” é algo a menos pra se preocupar, apenas isso. Não estou perseguindo um American Dream coxinha, apenas não tenho papai pra me bancar caso-tudo-dê-errado. Então segurança acaba sendo bom pra evitar gastrite, né? Não acho pejorativo buscar isso. Pejorativo é criar um estereótipo pra julgar pessoas que não têm o mesmo estilo de vida que você. Cada um tem um histórico, cada um tem seus objetivos – e isso não nos torna melhores ou piores.

      • mariolemes julho 12, 2013 at 2:58 pm #

        favor apontar o trecho do texto onde euzinho digo que sou MELHOR que os coxinhas.
        obrigado
        a gerência

      • Paola julho 15, 2013 at 1:51 pm #

        No momento em que vc fala deles de forma arrogante, superior.
        Primeiramente, vc se refere ao dito “coxinha” em terceira pessoa do singular ou do plural, excluindo-se do grupo. “(…)Eles gostam de limitações, definições, certeza (…)”. E, como todas as afirmações são colocadas de forma pejorativa, o resultado é um texto sarcástico, em que o autor se coloca em posição superior à do objeto de análise. Interpretação de texto nível muito básico, levando em conta as subjetividades.
        Pois é, vc nem precisou de um “Eu, como ser superior aos coxinhas, vou expor minha opinião…” rs.

      • mariolemes julho 15, 2013 at 2:17 pm #

        Me desculpa, amg. Mas essa história de “Eu, como ser superior aos coxinhas” é coisa da sua cabeça. E tudo bem você ter interpretado dessa maneira, mas não vem querer me obrigar a concordar que a minha intenção foi essa. Você não tem evidencia nenhuma de que eu me coloquei em posição superior ao grupo que descrevi no texto.
        Infelizmente, como escritor, fico à mercê da interpretação alheia. Não tenho como te convencer de que “não foi isso que eu quis dizer”, mas você não tem como colocar a SUA interpretação como absoluta.

        Obrigado pela visita e vamos comer coxinhas!

      • Sérgio Augusto Vanti outubro 30, 2013 at 11:31 pm #

        Bravo. Lembrando que, pelo texto, os tais coxinhas produzem enquanto os ñ coxinhas? usufruem. E subvertem?kkkkk

      • Giovani Bonacera janeiro 10, 2014 at 11:07 pm #

        É meu caro Ricardo, as fases que as pessoas passam pela sua história, como por exemplo o PT(Partido dos Trabalhadores) era um partido revolucionário por ser de trabalhadores e de intelectuais, eram considerados progressistas, ou seja, o contrário que hoje se chamam de “coxinhas”(que gíria idiota), mas depois que o PT assumiu o poder se transformou em um partido reacionário, um partido “coxinha”(que gíria idiota). Ou mesmos as pessoas no decorrer de seus anos, quando são considerados jovens, querem ser revolucionários, progressistas e vanguardistas, mas quando os anos vão se passando percebem o quanto de “coxinha”(que gíria idiota) todos têm. Quando por exemplo, o papai deixa de pagar a mesada e pede pro revolucionário vagabundo arrumar seu próprio dinheiro.

      • Rubens setembro 1, 2014 at 1:30 pm #

        Ricardo: Então pra que continuou a ler? Ou pq perdeu tempo comentando em um texto que considera chato e clichê?? Se me deparo com um texto que não gosto e acredito q não vai me acrescentar em nada, passo pra frente. Paola: e pq a gente tem q saber que vc sempre pagou suas contas?? Onde que o texto diz que quem busca estabilidade é sempre um coxinha?? Vamos estudar melhor português e interpretação de texto pra não ficar fazendo feiura por aí, por favor!!

    • Luciano Albamonte da Silva junho 21, 2013 at 11:37 pm #

      DAHORA O TEXTO! SÓ LEMBRANDO QUE “NERD” E “COXA” SÃO COISAS DIFERENTES! ASTA LA VISTA BABY

      • Marcelo março 17, 2014 at 3:00 pm #

        Opostas!

    • Ricardo junho 22, 2013 at 11:56 pm #

      kkkk boa!

    • Alex junho 24, 2013 at 3:54 am #

      Mulher de coxinha

    • Ana T. julho 12, 2013 at 4:35 am #

      vai se ferrar, sua coxinha

  5. Djair maio 3, 2013 at 6:17 pm #

    Valeu! Escrevi sobre as outras… http://prajalpa.blogspot.com.br/2013/02/coxinha-de-rabada-de-bucho-ou-galinha.html Mas não sabia o significado da giria. :)

  6. Tiago Fuzz maio 15, 2013 at 1:02 pm #

    Boa! Também dá pra citar o reduto turísticos dos coxinhas, Campos do Jordão, e alguma celebridade nacional, como Luciano Hulk.

  7. Edila Emilia Porto de Oliveira maio 15, 2013 at 4:32 pm #

    Adorei o texto,criativo,inteligente,estamos cheios de coxinhas neste pobre país,acomodados com seus recheios kkk

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:28 am #

      Obrigado pelo elogio e, principalmente, pela visita. :)

  8. Alexandre Navarro Caldeira maio 15, 2013 at 5:57 pm #

    Discordo.
    O Coxinha não é o cara que nunca bombou no colégio, não.
    Ele é a versão “adulta” do esportista babaca de filme adolescente americano. É o exemplo do cidadão padrão que tem preguiça de ter uma opinião própria, acata o que é vendido e zomba os que tem coragem de sair da caixa.

    • Nicolão maio 16, 2013 at 7:26 pm #

      hmmm.. “coragem de sair da caixa” cai bem na boca de coxinhas do marketching ou do merrrrcado publiciotário

      • Alexandre Navarro Caldeira junho 3, 2013 at 2:21 am #

        justamente, é uma expressão clichê que representa “sem declararem nada, acordam todos os dias e vestem suas camisas azuis-bebê na busca pela extinção da ousadia e por uma sociedade oleosa e simétrica. Uma grande coxinha.” de uma maneira menos poética e mais coxa.

    • Cintia setembro 22, 2013 at 6:30 pm #

      ötimo

  9. Gabriela maio 15, 2013 at 7:04 pm #

    Só uma observação: tem uma lanchonete em Santos que vende coxinha que tudo que é recheio inclusive de feijoada!!! huahaua

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:40 am #

      HAHAHHAHAHAH! Meu deus! Deve ser uma experiência e tanto. Me passa o endereço desse lugar que faço questão de ir lá experimentar a tradicional coxinha de feijuca, meeeeeeeeo.

      • Rafael maio 17, 2013 at 3:08 pm #

        Em Mato Grosso do Sul a coxinha tradicional é feira de massa de mandioca e recheio de carne moida

    • Rauber Soares maio 17, 2013 at 1:17 pm #

      Por favor, endereco !!!! hehehehehe

    • Gi junho 26, 2013 at 2:57 am #

      Nossa, onde é essa lanchonete??? hahaha

  10. Gustavo, (eu sou uma pizza)! Aliás qqr uma, menos a de frango com catupiry, pra mim, isso é recheio de coxinha rsrsrs maio 15, 2013 at 7:21 pm #

    Curti a definição e o texto, mas curti mais ainda a espanada do autor quando foi chamado de coxinha hein!!! O cara tem até usa sigla para The Big Bang Theory, (tbbt), essa foi uma grande coxisse rsrsrsrs

    • Joaozito maio 16, 2013 at 5:00 pm #

      RINDO MUITO, MAS MUITO AQUI!
      Sem noção! Boa essa, Gustavo hahahahahahahahaha!

    • Grazielle Xavier maio 19, 2013 at 2:00 pm #

      desculpe, mas ter sigla pra mim não significa códigozinho-piada-interna-indie. Significa simplesmente que eu tenho preguiça de digitar “The_Big_Bang_Theory” enquanto posso “TBBT” na maior das inocencias. Não lhes parece obvio? o.O

      • mariolemes maio 19, 2013 at 5:13 pm #

        pois é

    • Elaine agosto 23, 2013 at 3:25 am #

      Ai, escrever por extenso é dose, pessoal. Isso não tem nada a ver com coxinha. É normal. A primeira vez escreve-se por extenso e depois sigla.

  11. CahMarion maio 15, 2013 at 7:36 pm #

    Incrível o texto, adorei a forma como você definiu.

  12. rafamarx maio 15, 2013 at 7:52 pm #

    Excelente texto, cara. Definiu bem o tipo de pessoa mais sem sal que existe.

  13. Felipe maio 15, 2013 at 8:32 pm #

    Como já dizia a música “…and they’re all made out of tic-tac, and they’re all look just the same…”

  14. breva maio 15, 2013 at 8:34 pm #

    Nos comerciais de sedã de coxinha, o cara não usa terno? Sempre achei q o sonho do coxinha era ir trabalhar de terno e gravata todo dia.
    No comercial do Linea o cara usa até prendedor da gravata!

  15. Johnny maio 15, 2013 at 8:41 pm #

    Você come coxinha pela ponta ou vai logo na parte com mais carne?

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:37 am #

      Pela bunda.
      Mas ultimamente tenho testado a ponta. Tem lá seu charme também…

  16. Diogo Madruga maio 15, 2013 at 8:46 pm #

    Uma dúvida: então nunca um coxinha será um reaça?

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:37 am #

      Pode ser que sim.
      Mas nos últimos anos, será cada vez mais difícil. O pessoal anda se agradando mais com o politicamente correto, mesmo que seja só um disfarce para uma mentalidade neonazi.
      Quer um exemplo? “Pô, meu. Não sei o que o pessoal tem contra os gays, meu! Eles são tão diveeerrtidos, meu”.
      Isso é um comentário ~reaça~.
      E coxinha.
      E disfarçado de politicamente correto.

  17. Marco maio 15, 2013 at 8:47 pm #

    Coxinha, definitivamente, são os policiais militares de são paulo meu velho. Não adianta inventar a roda. Esse que vc descreve é o lumpen. Sorry

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:35 am #

      Uma subclasse bem definida dos coxinhas são aqueles que inserem termos em inglês no meio dos diálogos. Sorry.

      • Elaine agosto 23, 2013 at 3:19 am #

        Depende. Eu não sou coxinha e faço isso. Eu sou formada em inglês na facul (ha, ha, ha, ou melhor, kkkkk), quer dizer, na faculdade, e sou tradutora há décadas. Inserir termos em inglês na frase já é minha segunda natureza. Eu acho normal. Sorry guys.

    • anacranes junho 24, 2013 at 7:21 am #

      Marco também sou do tempo que coxinha era apelido de PM, mas as coisas mudam…

      • Cris julho 10, 2013 at 6:02 am #

        Verdade! O termo mudou. Na “minha época” chamavam policiais de “coxinha” porque eles tinham ou ainda têm mania de pedir salgado na padaria sem pagar…como se fosse uma gratificação….rs

  18. Kaz maio 15, 2013 at 9:13 pm #

    cara tem muita coisa ae que eu discordo muito. Coxinha é uma giria básica para uma coisa… Playboy <<<< tem nada ver com querer agradar todo mundo. muito pelo contrario. Normalmente são frescos e andam na moda e tem opiniões populares apenas para se acharem "Cult" e diferenciados das outras camadas sociais e nao pra agradar ngm….

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:34 am #

      Na minha visão, no que eu aprendi ~nas ruas~~, coxinha e playboy são coisas diferentes (e é por isso que têm nomes diferentes).
      Agora, se você quer defender isso aí, escreve um texto também, cara! Ninguém aqui falou que o meu “definitivo” iria para o aurélio.

      • Jana junho 5, 2013 at 11:09 pm #

        A respeito da visao política, posso dizer que os coxinhas fazem parte daquele grupo de facemaníacos que repassam loucamente todas as mensagens que falam mal do PT?

      • anacranes junho 24, 2013 at 7:22 am #

        Sou mais uma que ainda não entendeu a diferença entre o coxinha e o playboy. E coxinha tem alguma relação com o antigo mauricinho?

  19. Fernando maio 15, 2013 at 9:33 pm #

    Ótimo texto! Parabéns!

  20. coxinha enruxxxxxtida maio 15, 2013 at 10:00 pm #

    no mínimo o pai do coxinha nao sabe que a ponte estaiada leva do nada para lugar algum… e concordo rs… você é um coxinha “enrussssssstido” total meuuuuuuuuu rs.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:32 am #

      Hahahah vai ver que sou. Mas esse “meeeeu” puxado eu não falo. Até porque não sou paulista, rs, moro só a cinco anos nessa “LOCOMOTIIIIVA, MEEEEOOO”. ahahhaha

  21. Samuel maio 15, 2013 at 10:16 pm #

    hehe.. pra mim, o significado tinha mais a ver com o gordinho de festa. Aquele que enche os bolsos de salgadinho (coxinha!) pra levar pra casa; que adora coca-cola e é mimado desde a infância.. o resto, taí no texto já, haha. bacana!

  22. Renato Portugal maio 15, 2013 at 11:45 pm #

    Fantástico! Mas é bom deixar claro que nem todo mundo que ouve/gosta de Coldplay é, necessariamente, um coxinha. Mesmo porque o coxinha só ouve/gosta das músicas do Coldplay que tocam no rádio.

    • Marina silva maio 16, 2013 at 2:00 pm #

      Putz, pior que é. Você deve ser coxinha também, Renato Portugal.

  23. Felipe Lima maio 15, 2013 at 11:49 pm #

    Em São Paulo coxinha é como chamam os pms, nunca ouvi ngm usar essa palavra pra se referir a outra coisa que não fosse a comida ou os policiais

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:39 am #

      De fato, essa é a origem da gíria.
      Origem esta que se deu na ditadura militar. E como toda linguagem casual, a semântica é mutante. As coisas mudam, cara. Saia dos anos 80.

  24. Ana Ñbandi maio 16, 2013 at 2:00 am #

    Que elegância pra descrever esta gentalha hein? Parabéns.

  25. Marcio maio 16, 2013 at 2:20 am #

    A definição está perfeita. Já a opinião… por exemplo, qual o impacto social dos coxinhas? Eu acho que é bom. As sociedades que invejamos são todas um mar de coxinhas. Ou vai dizer que você quer ir pra Cuba? Ou, vá lá, pra Bolívia? Pra Russia? A Coreia do Sul só deixou de ser um amontoado de palafitas depois que se coxizou. Eu zuava (zuava só não, tinha ódio mortal) os coxinhas no colégio. Depois dos 40, com 3 filhos, virei coxinha. Embora não admita, esse parece ser o caso do autor (só um coxinha pode dar uma descrição tão perfeita da própria espécie).

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:31 am #

      Hahaha. Você falando assim parece que coxinha é direita e não-coxinha é esquerda.
      Pra começar, eu odeio essa visão binária do mundo. Já sobre eu ser ou não coxinha, é outra história. Eu não me encaixo na minha própria descrição, mas talvez eu seja um coxinha, sim.. Não dá para saber, até porque um coxinha, na maioria das vezes, não faz ideia de que é coxinha.

      • Shlomo Alon junho 25, 2013 at 8:08 pm #

        Odiar a visão binária não faz ela ser menos verdadeira… o seu desconforto com o coxinha é facilmente mapeável para a dualidade revolucionário VS conservador.

      • mariolemes junho 25, 2013 at 8:21 pm #

        talvez eu tenha me expressado mal resumindo que “odeio essa visão binária”. Não disse o motivo do ódio: odeio justamente porque, na minha opinião, ela é um equívoco.
        Se você ~mapeou~ o meu desconforto pela dualidade revolucionário VS conservador, mil perdões, mas não vejo outra jeito de te descrever senão “limitado”.
        Nem todo mundo que não é conservador, é necessariamente um revolucionário. O ser humano tem níveis, tem nuances, e por isso acho a binaridade uma burrice desmedida.
        Eu não me considero conservador e, mesmo assim, não me eliminei da lista de possíveis coxinhas, por exemplo.

  26. Henrique maio 16, 2013 at 3:07 am #

    Po, não entendi, no começo achei que estava descrevendo uma classe de bocós limitados, depois pensei que eram os mauricinhos perfeccionistas. Mas tirando pelas camisas polo e pelo “Orgulho da nossa cidade” (me senti descrito nessa parte btw) me pareceu a descrição de quase toda a classe proletária. Pelo jeito sou um coxinha, quero uma família, e quero ficar rico pra poder sustentá-la, mas nem de longe tudo o que eu fiz na minha vida foi para agradar os outros, e odeio camisas polo.

    • Marina silva maio 16, 2013 at 2:04 pm #

      É, concordo, não faz o menor sentido a definição. Para a definição dele, toda a classe C,que têm dificuldade a alimentar sua família, então tem isso como prioridade, é uma classe de coxinhas. Sendo que um coxinha na realidade é um entediado de classe média alta, que posta coisas num blog para seus amigos publicitários lerem!

      • mariolemes maio 16, 2013 at 2:45 pm #

        Hhahahahahahahahha

  27. Marchesini maio 16, 2013 at 3:38 am #

    Wahahahahahha!!! Mas qual o problema de uma sociedade simétrica? Se for assim, essa parte de ser coxinha não é tão ruim assim!
    Fora o vestuário e querer procriar, creio que sou um perfeito coxinha…

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:45 am #

      Cara, se joga na tina de óleo quente e seja feliz! :D

  28. Lucas maio 16, 2013 at 4:16 am #

    Me senti descrito ao longo do texto. Acho que, até então, eu era um coxinha inconsciente. Agora, um coxinha consciente e encabulado. Seria um bloqueio, um medo de exprimir minha personalidade e sofrer repressão? Sei lá. Confesso que é chato ser visto como alguém inerte intelectualmente. Mas de qualquer forma, obrigado por essa luz.

    Um abraço (com catupiry).

    • mariolemes maio 16, 2013 at 4:20 am #

      ooown sinta-se abraçado, querido coxinha.

  29. Felipe Garcia maio 16, 2013 at 5:53 am #

    Gênio!

  30. Fernanda Cruz maio 16, 2013 at 10:19 am #

    O texto é ótimo! Admito que tenho um pouco de coxinha em mim… principalmente nos quadris! Sou fã do quitute!

  31. BozoDel maio 16, 2013 at 1:50 pm #

    em Jundiaí temos coxinha de queijo, e aí?

    • mariolemes maio 16, 2013 at 1:56 pm #

      e aí que deve ser uma delícia.

    • Marina silva maio 16, 2013 at 2:02 pm #

      Isso chama bolinho de queijo, deus do céu.

      • bozodel maio 16, 2013 at 4:39 pm #

        juro pra você que aqui tem formato de coxinha e se chama coxinha. mas a sua reação é comum

      • Natasha Tardia julho 1, 2013 at 12:07 am #

        hahahahahahahahahhaa

  32. Marina maio 16, 2013 at 2:09 pm #

    O “coxinha” não seria bem próximo de um “mauricinho”? Quais as diferenças?

  33. Nina B. maio 16, 2013 at 3:26 pm #

    o texto é ótimo, achei que tem umas coisas meio nada a ver, mas é a visão do cara, tem que respeitar, po! o texto é dele, o blog é dele, a opinião é dele!
    mas o melhor de tudo mesmo são os comentários! hauhauhua
    o coxinha com catupiry que se descobriu aqui, foi o melhor!!!
    parabéns pelo texto!
    ah! e meu chute: vc é formado em letras ou ciências sociais por alguma universidade pública… :P

    • mariolemes maio 16, 2013 at 3:30 pm #

      errou.

      obrigado pela visita :)

  34. Rodrigo maio 16, 2013 at 4:03 pm #

    Todos nós temos um fundinho de coxize, mas os piores são aqueles q ficam compartilhando trechos de Clarice Lispector e textos falsos de Arnaldo Jabor, ahhh esses são incuráveis.

  35. caetano maio 16, 2013 at 4:25 pm #

    seu texto é cheio de clichês e preconceitos sim!
    e isso só se dá a partir da construção que você faz dos coxinhas, que é uma construção que parte da imagem e não dos posicionamentos políticos, questionando o indivíduo e não a sociedade.
    qual a chance do coxinha versão buffet infantil virar alguém crítico, interessante e interessado? toda, mas ele pode continuar usando a sua camisa polo e batendo ponto no seu trabalho no banco!
    pra você parece que ser inseguro é ser coxinha… ser coxinha não é ser conservador nos seus gostos, tanto por comprar dvds na fnac, ou vestir camisa polo, mas é ser conservador nos seus posicionamentos enquanto alguém que se coloca no mundo.
    ser coxinha é ser contra o casamento civil igualitário, ser coxinha é ser contra a legalização das drogas, é votar no psdb e curtir o reinaldo azevedo. e tá cheio de modernete hipster coxinha por aí!
    a sua crítica é bem vazia.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 4:28 pm #

      mano, cê é chato pra caralho.
      não to falando de ideologia política nenhuma.
      se você quer falar, faz um texto tipo esse que eu fiz só que com a sua opinião.
      abraço.

    • Licia maio 16, 2013 at 5:01 pm #

      é bem mais fácil criticar o texto de alguém do que fazer o próprio texto, né?!
      crítica vazia??? o que tem que ser cheia é a coxinha, cheia de massa e frango!

      • caetano maio 16, 2013 at 6:13 pm #

        nossa, que respostas inteligentes e de pessoas abertas à discussão!
        quem publicou o texto foi você, mario, se não quer discutir porque deixa aberto para comentários? só para alguém dizer “o texto é ótimo”, “Primeiro de tudo, parabéns pelo texto! Mto criativo!”? Qual é o sentido de escrever um texto supostamente crítico, mas que não pode ser criticado?
        chato é você que não quer pensar, só colocar as suas ideias preconceituosas e não arcar com consequência alguma.
        bj

      • mariolemes maio 16, 2013 at 7:04 pm #

        Cara, eu não ligo de não gostarem do texto, não. Tanto que eu aprovo os comentários, e não to censurando nadinha.
        O que eu acho chato é você achar que eu tenho a obrigação de inserir uma discussão política no meu texto.
        O texto é meu, eu faço ele como eu bem entender. Em nenhum momento eu quis partir pra discussão política e você acha que eu “TENHO QUE”.
        Você deve no mínimo ter comido a constituição federal pra cagar esse tanto de regra, né?

    • Kátia Regina Azimute maio 16, 2013 at 6:36 pm #

      resposta TOTALMENTE coxinha…..kkkkkkkkkk…

      • caetano maio 16, 2013 at 8:19 pm #

        cara, eu não disse que você tem que fazer nada, você faz o que bem entender, mas a partir do momento que você escreve uma coisa e torna ela pública você está aberto a receber esse tipo de resposta.
        Você não tem que politizar nada, mas “ser coxinha” é um posicionamento político, você queira ou não. Entender política somente como política partidária é um pensamento bem limitado e atrasado. Ou você acha mesmo que escrever um texto com uma critica (bem leviana) a um “tipo” de gente não é um posicionamento político?
        Cara, sai dessa posição defensiva, eu não to cagando regra nenhuma, só estou colocando questões que eu acho interessantes ser pensadas ao se falar desse assunto.
        Se você acha que literatura (não que isso seja um texto literário) não tem que se relacionar com a sociedade, não tem que se posicionar, você vai continuar escrevendo coisas vazias e muito provavelmente preconceituosas.
        E eu não to dizendo que você tem que escrever um texto chato, uma dissertação ou o que quer que seja, mas um pouco de pensamento crítico não faz mal a ninguém
        bj

      • mariolemes maio 16, 2013 at 8:31 pm #

        Eu entendo, sim, que falar sobre um grupo da sociedade é um posicionamento político. Mas ele se limita onde eu quiser. Se eu não quero me aprofundar, eu não me aprofundarei.
        Até agora eu não entendi uma coisa: se pensamento crítico não faz mal a ninguém, por que você não pensa criticamente num texto seu em vez de ficar pedindo isso pra mim?
        Você não quer aprofundar discussões comigo, eu te garanto que não.
        Na boa, cara. Vaza.
        Pra que essa insistência?

    • Kátia Regina Azimute maio 16, 2013 at 6:38 pm #

      resposta TOTALMENTE coxinha………kkkkkkkkkkkk……..

      • caetano maio 16, 2013 at 8:38 pm #

        típico argumento autoritário de quem não quer discutir “Vaza”.
        hahaha
        to vazando e sim, falar sobre um grupo da sociedade sem se aprofundar é um posicionamento político: UM POSICIONAMENTO REACIONÁRIO PRA CARALHO!
        vazei,
        bjs

      • Mariana junho 30, 2013 at 3:04 am #

        Katia vc é toscamente coxinha kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • gus maio 17, 2013 at 3:53 pm #

      Em que momento o blogueiro diz que é uma crítica? E quando ele diz que é ruim ser coxinha? E quando ele se propõe a fazer um questionamento político, e não de imagem?

      Blogueiro: poderia definir analfabetos funcionais e pessoas que leem o que não está escrito?

      Minha solidariedade.

      • mariolemes maio 17, 2013 at 4:06 pm #

        Obrigado, cara!
        que bom que você entendeu ;)

    • Juliana junho 2, 2014 at 2:21 am #

      Pelo nível de argumentação entre o blogueiro e o Caetano não consigo deixar de simpatizar com o segundo. É extremamente gratificante notar uma fala coesa que se pauta em argumentos e não num “Vaz se não gostou”. Lindo!

  36. Jolie maio 16, 2013 at 5:02 pm #

    Primeiro de tudo, parabéns pelo texto! Mto criativo! É sempre gostoso ler descrições de forma lúdica assim! Eu acho o máximo as pessoas entrarem no blogo dos outros, ler o que ta escrito e achar ruim. Se vc não curte a opinião, nem termina o texto, fecha a janela! Agora, ler tudo (inclusive os comentários), parar pra escrever uma crítica nada construtiva e ainda ficar esperando resposta/comentário é o cúmulo da falta do que fazer! Enfim, de qualquer forma, acho que o autor esqueceu de incluir no texto outra descrição de “coxinha”: os policiais militares também são conhecidos por coxinhas. Aonde tem PM estacionado, pode ter certeza que a coxinha é boa!! hahaha (pronto, outro clichê que vão cair matando…)
    Um abraço e parabéns de novo! :)

    • mariolemes maio 16, 2013 at 5:12 pm #

      É, Jolie!
      Aliás, a gíria coxinha que eu descrevo começou assim: pra denominar os policiais da ditadura.
      Mas, como tudo nessa língua, a gíria foi se adaptando :)

  37. manaotupapau maio 16, 2013 at 5:40 pm #

    E o retorno dos recalcados que vestiram a carapuça e se ofenderam? hahahahahaha Se o texto não fosse tão bom, eu diria que os comentários tão até melhores!! Será que a galera ficou chateada porque Viva La Vida (música n.1 de 10 entre 10 videos corporativos) foi a música tema do casamento?

    • mariolemes maio 16, 2013 at 5:45 pm #

      AHHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHA
      Ou, inovaram, colocaram Scorpions

      • Fernanda maio 16, 2013 at 6:08 pm #

        Coxinha com o maior orgulho!!

  38. Fernanda maio 16, 2013 at 6:10 pm #

    só troco o carro….se puder ser um esportivo vermelho gradicida.

  39. Herry maio 16, 2013 at 6:16 pm #

    Faltou a definição que, creio eu, seja o que a maioria dos paulistanos tem.
    Coxinha ou coxa é usado pra definir PM.
    No meu ponto de vista, o que vc escreveu é uma definição coxinha para o próprio termo, o que muitos diriam ser o zé porva.

  40. Kátia Regina Azimute maio 16, 2013 at 6:40 pm #

    SENSACIONALLLLLLLLLL!!!!!Encontrei um semelhante……..kkkkkkkkk……….eu chamo os coxinhas de coxa creme, a variação mais chatinha da coxinha……kkkkkkkk…..mas amei seu texto e compartilhei!!!!!Demais!!!

  41. Catcholina maio 16, 2013 at 6:43 pm #

    Hahahaha Juro, não sei o que foi mais legal, o texto ou os comentários, meooooo (com sotaque do Boça). Principalmente a parte dos publicitários: “Quando você vir o comercial de um banco com pessoas sorridentes e narrador com timbre épico, pode ter certeza: tinha um coxinha na reunião de brainstorming que, depois de contar sua “ideia genial”, foi aplaudido por mais meia dúzia de coxinhas”.
    Mas não nos esqueçamos que hoje em dia temos uma modalidade nova de coxa: os Coxipsters. Mario, você podia escrever um texto sobre eles, hoje mesmo tentei definí-los mas não consegui, fica aí o desafio! Tenho certeza de que vou rir bastante!
    PS. onde tem PM tem coxinha boa, mas onde tem coxinha tem café zoado (o famigerado ‘Starbas, meoooo’).

  42. Dario Barbos maio 16, 2013 at 6:51 pm #

    boa tarde, muito bom o texto!!

    gostaria de saber se posso reproduzi-lo no nosso portal http://www.sossolteiro.com, com os devidos créditos

    abraço!

    • mariolemes maio 16, 2013 at 6:53 pm #

      Olá, Dario!
      pode sim.
      só peço pra colocar, além do meu nome, o link do blog e o twitter @mariolemes. :)

  43. rafael maio 16, 2013 at 7:18 pm #

    “non dvcor, dvcoxinha”

    • Elaine agosto 23, 2013 at 3:38 am #

      Nossa, essa foi de lascar hahaha

  44. jupiotto maio 16, 2013 at 7:29 pm #

    Eu trabalho na coxinhalândia, no prédio mais coxinha da Faria Lima!!
    E você está muito certo no que escreveu… (Y)

  45. Julia maio 16, 2013 at 7:52 pm #

    HAHAHA, finalmente uma resposta coesa do que vem a ser um coxinha! Super completa, parabéns!

  46. Lord maio 16, 2013 at 8:11 pm #

    Nao confunda coxinha com ter princípios, responsabilidade, planejamento e metas…. Senhor super descolado.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 8:15 pm #

      Em nenhum momento eu disse que sou descolado, cara.
      Mas me desculpe, senhor coxinha.
      Me desculpe, aliás, por aqui a sua opinião não ser unânime como na sua rodinha de amigos de camisa polo. Este blog é um ambiente hostil demais para pessoas de bem cheias de princípios como o senhor.
      Para o seu próprio bem, feche esta aba.

      • Monica maio 21, 2013 at 3:54 pm #

        HAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHHAHHAHAHHAHAHAHHAAHHHAH

        “Este blog é um ambiente hostil demais para pessoas de bem cheias de princípios como o senhor.
        Para o seu próprio bem, feche esta aba.”

        Boa!

  47. Fábio Baiano maio 16, 2013 at 8:21 pm #

    Texto extremamente preconceituoso, escrito por alguem que provavelmente tem pouco estudo e uma visão superficial do país que vive.
    No meio da pobreza imensa que esse país enfrenta, uma pessoa que tenta estudar, seguir regras e vencer na vida deveria ser vista como exemplo a ser seguido.
    Assinado: um coxinha que não ganha dinheiro do pai e tem que correr atrás do seu todos os dias.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 8:35 pm #

      Pena que senso de humor é uma coisa que a gente não aprende na facul, né, meeo?
      Você quer o que? Uma medalha?

      • Fábio Baiano maio 17, 2013 at 11:44 am #

        Uma medalha eu não diria, mas sua resposta já corroborou minha afirmação de que vc foi preconceituoso e isso para mim já basta.

        Para falar a verdade, sou muito bem humorado! Porém, acho que que não nasci para entender o seu tipo de humor! Tudo bem, acontece.

      • mariolemes maio 17, 2013 at 2:11 pm #

        Para terminar esse papo, vou citar aqui um poema de um amigo meu, o Fernandão, que vai me descrever pra você que é tão superior.
        Lá vai:
        Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
        Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

        E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
        Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
        Indesculpavelmente sujo,
        Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
        Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
        Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
        Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
        Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
        Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
        Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
        Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
        Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
        Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
        Para fora da possibilidade do soco;
        Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
        Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

        Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
        Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
        Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…

        Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
        Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
        Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
        Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
        Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
        Ó príncipes, meus irmãos,

        Arre, estou farto de semideuses!
        Onde é que há gente no mundo?

        Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

        Poderão as mulheres não os terem amado,
        Podem ter sido traídos – mas ridículos nunca!
        E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
        Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
        Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
        Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

    • gus maio 17, 2013 at 3:58 pm #

      Eu perdi a parte em que ele diz que é errado ser coxinha, que coxinhas são piores que o resto da humanidade…

  48. sofia ferresSofia maio 16, 2013 at 8:31 pm #

    Teu posto é engraço e tal, bem escrito. Mas qualquer definição fechadinha é uma forma de preconceito, e como todo preconceito, algo a ser evitado. Imagina que rotulassem o que a gente faz e gosta, onde compramos e o que usamos, tudo para fins de deboche? Não consigo deixar de perceber um ar pejorativo ao chamar alguém de coxa, e essas pessoas são ótimas e não incomodam ninguém. A gente luta pelo fim do preconceito contra negros, homossexuais e grandes causas mas esquece de respeitar o cara do lado só porque ele compra na fnac, usa polo, tem um sedam…. Teu texto acaba sendo um desfavor ao exercício da tolerância. Você leva jeito e escreve bem, pq tem que zombar de um grupo pra ser engraçado?

    • mariolemes maio 16, 2013 at 8:39 pm #

      Obrigado por esta lição de moral :)
      Agora eu aprendi que isso que eu fiz é errado. Vou mudar. Vou esquecer minha personalidade, reprimir meus pensamentos e ser uma pessoa boa e correta.
      Obrigado por essa luz. De verdade.
      Agora, a senhora pode se retirar que tá ficando tarde e eu preciso dormir? Vai com deus e pela sombra.
      beeeaaaj!

    • Erica maio 22, 2013 at 1:58 pm #

      Não, Sofia. Preconceito com simbologia forte é aquele que as pessoas têm contra grupos que são historicamente marginalizados. Basicamente: gays, mulheres e negros. Você pode achar super triste zuar os coxinhas, mas, na boa, colocá-los ao lado de grupos que sempre estiveram em situação de vulnerabilidade social é, no mínimo, ofensivo. O fato de usar camisa polo, viajar para Miami para fazer compras e ter um sedam não transforma os coxas em grupo marginalizado. Eles têm todos os direitos civis resguardados, podem votar e nunca tiveram que andar em vagão de trem diferente porque usam suéter azul bebê. No mais, o texto do Mario não é desrespeitoso e nem intolerante; no final das contas, parece ser uma chacota de um estereótipo que todo mundo tem um pouco dentro de si. E eis aí a graça da coisa toda.

  49. Manoel Proença maio 16, 2013 at 8:36 pm #

    Eu sou coxinha….hauhauhauhauahua!!!

    • mariolemes maio 16, 2013 at 8:40 pm #

      Você é um coxinha legal.
      Que não se ofendeu com o texto ou ficou exigindo ~profundidade~. Respeito sua coxice :)
      Volte sempre aqui que nessa estufa sempre cabe mais um <3

  50. Marta maio 16, 2013 at 9:13 pm #

    Bem que eu desconfiava! O dono da confecção perto da minha rua é um fornecedor de…CAMISAS POLO pra coxinhas! Disque-denúncia nele!

  51. Ricardo maio 16, 2013 at 10:24 pm #

    Parabéns pela definição! Depois queria ver a definição do hipster coxa, aquele usa óculos de acetato, calça colorida e camisa de manga curta xadrez, adora os filmes iranianos do reserva cultural, esta sempre ouvindo um eletrozinho ou um indiezinho no seu iPod e, principalmente, acha super prafrentex ter um blog na internet pra expressar suas idéias assimétricas.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 10:30 pm #

      ELAIÁ!!! Não se pode mais ter um blog, então?
      Não curto filme iraniano, nem calça colorida, nem tenho ipod, nem ouço eletrozinho. Aliás, eu troco fácil uma rave por uma rodinha de samba.
      Cara, não é porque você se sentiu descrito (e rotulado) no texto, que você precisa querer me rotular também.
      Não fiz esse texto pra atacar ninguém. Estou apenas dando a minha definição do que eu entendo dessa gíria. Se você quer ficar ofendido, fique por outros motivos… Eu tenho milhões de defeitos, pode escolher.

      • Ricardo maio 16, 2013 at 10:53 pm #

        Eu nenhum momento eu ataquei ninguém, apenas descrevi brevemente o tipo hipster coxa. Mas pelo visto a carapuça (ao menos parcialmente) serviu!

        Conheço vários prafrentex que se acham super cool e super na moda. só se esquecem que moda, pela própria definição estatística, é justamente o elemento que mais se repete.

        A propósito, sou um coxinha liberal, acho que cada um faz o que quer. Inclusive ter um blog. Mas eu ainda prefiro ler um livro e me sentir um pastel entre os coxas.

      • heloisa maio 17, 2013 at 12:01 am #

        eita, mas quanto comentário de gente que, sem querer (querendo), se diz coxinha. o problema que eu sinto das pessoas é que elas não param pra olhar ao redor e aí então, textos como este acabam não fazendo sentido pq estão preocupados apenas em executar e finalizar atividades-coxinha.
        obrigada, mariolemes. muito bom o seu texto. um pouco estereotipado, talvez, mas o conceito não poderia ter sido melhor. =)

  52. Marta maio 16, 2013 at 11:07 pm #

    Peloamordedeus, guri. Nem eu e a minha turma, lá pelos anos setenta ( tenho sessenta ) tínhamos uma visão tão estereotipada e capenga da realidade.Acorda, menino.O mundo e as pessoas são muito mais do que isso. Larga essa postura de adolescente emburrado e começa a olhar seriamente ao teu redor.

    • mariolemes maio 16, 2013 at 11:11 pm #

      Francamente, minha senhora…

      • Marcelo maio 17, 2013 at 2:48 pm #

        Hahaha… A tia ficou brava. Acho q o ideal seria fizer o que todo mundo ja sabe: seja sempre vc mesmo, todos os outros estão “tomados “.. Se voce “é” coxinha e esta é sua real essência ótimo, seja autentico … Mas se é coxinha porque seus pais, a mulher, a igreja, o estado ou seus amigos disseram que “deveria” ser, aí vai sofrer a vida inteira angustiado

  53. Maris maio 16, 2013 at 11:10 pm #

    Gente que texto gostoso…!! No bom sentido! :) :)

    Que falta faz o bom humor, ironia e a audácia. Fico pensando se os cronistas da década de 60 vivessem hj morreriam de tédio com essa onda nefasta de politicamente correto. Joga esses comentários chatos na “tina de óleo fervente” ( adorei a imagem) . Canta pra subir.

    “O problema é o impacto social dos coxinhas que, sem declararem nada, acordam todos os dias e vestem suas camisas azuis-bebê na busca pela extinção da ousadia e por uma sociedade oleosa e simétrica.” Genial!
    Pelos comentários sebosos, os coxinhas já estão alcançando seu intento.

    Coxinha é do bem e eu gosto.
    E curto tb um Kibe, uma empadinha, risole e pão de queijo. Se for pensar bem, vc tem material para escrever um livro de personagens hilários baseados na culinária nacional!

    Quando esgotar os tipinhos daqui, comece a pesquisar a tapioca….

    • mariolemes maio 16, 2013 at 11:15 pm #

      Seu comentário também é uma delícia.
      Obrigado pela visita ;)

  54. Daniel Schiavoni maio 16, 2013 at 11:20 pm #

    Hahahaha, muito bom!
    Faltou mencionar o uniforme universal do coxinha: camiseta Abercrombie.
    Ele sonha em ter um Veloster, viaja pra Riviera no carnaval e Campos do Jordão no inverno. Passeia no shopping de domingo! xP

    • mariolemes maio 16, 2013 at 11:21 pm #

      Outro destino bastante comum é:
      JURERÊ INTERNATIONAL, MEEEO

      • caetano maio 16, 2013 at 11:44 pm #

        experimenta assistir esse filme e quem sabe repensar o que você entender por humor

      • Cintia setembro 22, 2013 at 6:42 pm #

        kkkkkkkkkkk pio, balneário camboriu

  55. miru maio 17, 2013 at 12:33 am #

    esse caetano é o mesmo que vazou lá atras? ahahahaha

    gostei do texto e as pessoas são chatas demais. e fiquei com fome, meo.

  56. Thiago maio 17, 2013 at 12:53 am #

    Cara… sério mesmo? Coxinha é isso aí então? E era PM nos anos 80? Então beleza.

    • Li maio 17, 2013 at 5:39 pm #

      Em MG ainda é PM apesar de ser mais usado no interior, mas acho que hoje é por conta da cor do uniforme que tem ainda essa cor de buzina de avião semelhante a cor da coxinha. hahahaha Nem sabia que existia outras definições para “coxinha” nesse Brasilzão! ;)

  57. Ted Kaczynski maio 17, 2013 at 1:03 am #

    Bom texto, porque nos faz pensar o quanto nos encaixamos nesse perfil aí que você descreveu, e gera polêmica e discussão justamente porque você diz ser errado o que todo mundo é um pouco. Acho que no fundo todos nós que vivemos em sociedade, com leis e governo, regras e uma moeda impressa, etc e tal, somos um pouco coxinha, obrigados a viver dentro do tal do “sistema” (o abominável sistema). Lidamos com um conflito interno em todos nós, que convivemos dia a dia nesta corrida dos ratos. De um lado, a vontade de fugir do sistema, ser alternativo e negar tudo o que o sistema nos oferece ou impõe, tal como marcas e o que devemos consumir (leia Industrial Society and Its Future por Unabomber); e de outro, aceitar o sistema e fazer muitas das coisas que todo mundo faz, sentindo-nos verdadeiras ovelhas, tal como trabalhar e comprar coisas enlatadas e de grife, e nos orgulhar e nos exibir quando ganhamos dinheiro e compramos um carrão ou coisa que o valha. É natural do ser humano. A minha opinião é que no capitalismo, no final, somos todos iguais, ainda que querendo ser tão diferentes. Servindo e consumindo. Uns servindo mais e consumindo menos, e outros servindo menos e consumindo mais, fomentando a tal da luta de classes. It’s hip to be square? Enviado da minha máquina de escrever Olivetti.

    • mariolemes maio 17, 2013 at 1:09 am #

      Tá, mas eu não falei que é errado rs

  58. Camila maio 17, 2013 at 1:07 am #

    perfeito, melhor definição de coxinha ever

  59. camilapmq maio 17, 2013 at 1:09 am #

    Melhor descrição de coxinha ever. Amei

  60. Nay maio 17, 2013 at 1:15 am #

    Sua definição de coxinha (o ser humano..rs) é legal. Vai ao encontro com o que muitos paulistanos são, ou são por algum tempo. Mas sabe, o mundo é cheio deles (os coxinhas e os paulistanos). Não acredito que existam os coxinhas por completo, assim como na sua definição. Pq ela é “muito definida”, “cheia de certeza”, e pessoas definidas e certas do que são, olha, tô pra ver. Nossa humanidade não nos deixa ter certeza de nada nessa vida.
    Gostei do seu texto. Como meso-coxinha que sou, sinto-me esclarecida.

    • mariolemes maio 17, 2013 at 1:17 am #

      :)
      Volte sempre!

  61. Tamara Prior maio 17, 2013 at 1:36 am #

    Fazia tempo – realmente, muito tempo- que não lia algo tão bom sobre este tema tão caro e essencial para a compreensão da imbecilidade humana que COXINIZA a vida! Paguei um pau, parabéns!

  62. Guilherme maio 17, 2013 at 1:37 am #

    Quase nenhuma GENERALIZAÇÃO…depois que fazem a mesma coisa e generalizam o pessoal da esquerda como um bando de babacas que só sabem usar a camiseta do Che e ficar reclamando de tudo e todos sem dar nenhuma solução pros problemas, o pessoal de “esquerda” bravinho.

    • Guilherme maio 17, 2013 at 1:38 am #

      Quase nenhuma GENERALIZAÇÃO…depois que fazem a mesma coisa e generalizam o pessoal da esquerda como um bando de babacas que só sabem usar a camiseta do Che e ficar reclamando de tudo e todos sem dar nenhuma solução pros problemas, o pessoal de “esquerda” fica bravinho.

      • mariolemes maio 17, 2013 at 1:41 am #

        MAS, GENTE!
        PELO AMOR DE DEUS ONDE É QUE VC LEU NO TEXTO QUE EU ESTOU FALANDO DE ESQUERDA/DIREITA?
        QUE AFETAÇÃO É ESSA, QUERIDINHA? FICOU BOLADONA NA MADRUGA PQ??

    • gus maio 17, 2013 at 4:03 pm #

      A definição de esquerdista de camiseta Che Guevara foi feita faz tempo. Oito mil vezes. Aliás, é uma ótima definição para um blog de coxinha.

  63. Guilherme maio 17, 2013 at 2:10 am #

    Esse é o perfil que a esquerda atribui à um cara trabalhador que quer estudar e arranjar um bom emprego pra subir subir na vida, enquanto que o amiguinho defensor do Che (que depois de ler o manifesto comunista, passa a se considerar com um super olhar crítico da sociedade) só sabe reclamar e não tem coragem de tomar nenhuma iniciativa pra melhorar de vida. Podem criticar o quanto quiserem, daqui 10 anos o coxinha vai ta com carro importado enquanto que os babaca de esquerda vão tá inerte ainda só reclamando da vida.

    Vai falar que quem escreveu esse texto é um cara de direita??

    • mariolemes maio 17, 2013 at 2:14 am #

      Vou te contar um segredo:
      não existem apenas duas possibilidades no mundo.
      Quem trabalha com base binária é máquina.
      Eu sou gente. Você também. Nós temos nuances.
      Em nenhum momento se falou de ideologia política partidária nesse texto. Mas, se você faz questão de saber o que eu penso sobre isso, digo que em vez de Esquerda e Direita, deveríamos todos ir PRA FRENTE.

      • Guilherme maio 17, 2013 at 3:05 am #

        Cara, a gora eu saquei. Coxinha é o babaca individualista que faz caridade pra paga de bom mocinho mas não gosta de “pobre”, esse caras são escrotos mesmo. Tipo Luciano Huck.

  64. piki pereira maio 17, 2013 at 3:20 am #

    excelente! faço de suas palavras as minhas. parabens!

  65. Bruno maio 17, 2013 at 3:54 am #

    Coxinha é (e sempre foi) gíria pra polícia! Todo o resto é falácia, hahaha..

  66. Rafael maio 17, 2013 at 6:54 am #

    Acho que há algo além e pior escondido no efeito social do “coxinha” no trecho: O problema é o impacto social dos coxinhas que, sem declararem nada, acordam todos os dias e vestem suas camisas azuis-bebê na busca pela extinção da ousadia e por uma sociedade oleosa e simétrica. Além de transformar o mundo em um lugar mais conservador e chato, o “coixinha”(incluo o aspirante que é ainda pior durante o seu próprio processo “acoxinizante”) esta baseado na busca de diferenciação social e de status, principalmente por meio do consumo. Isto é algo que presenciei em outros lugares no Brasil, porém em São Paulo se eleva má um nível impressionante. A própria logica segregacionista da cidade, a desigualdade social e a grande circulação monetária podem explicar o fato do coxinha ser tão explicito por aqui.

    • caetano maio 17, 2013 at 2:20 pm #

      se o nosso amigo mario tivesse complementado seu texto com esse seu parágrafo, boa part do teor reacionário do texto cairia por terra. acho que seria importante também dizer o quão importante é pra alguém da periferia conseguir se tornar um coxinha, porque significa que entrou dentro dessa lógica perversa do consumo, que mudou de classe, enfim…

  67. Anonymous maio 17, 2013 at 7:18 am #

    deve ser o contrário de uma metamorfose ambulante, esse post dá fome, tem coxinha de carne/seca e massa de mandioca tbém

  68. Andre Roberto maio 17, 2013 at 7:19 am #

    https://www.facebook.com/CoxesPortugues

    Acho que vocês já conhecem, correto?
    (Se já postaram aqui nos comentários, peço desculpas pela repetição)

  69. Joao maio 17, 2013 at 8:12 am #

    Curti o texto!! Pra mim, coxinha MASTER é gente que ama o filme Amelie Poulain!
    Espero por novos textos,
    Abraços.

  70. Nega Joana maio 17, 2013 at 10:33 am #

    e tu és um banana.. texto idiota!

  71. Alexanndre Lennon maio 17, 2013 at 11:11 am #

    O coxinha vê tudo bem dividido em estereótipos, como falado no texto, mas estereotipar alguém pelos seus gostos e atitudes não lhe faz diferente deste que critica… não correspondo à crítica, mas me parece que sua atitude não é tão diferente assim da que fala que é coxinha. Só o modo que é diferente, no fundo a essência é a mesma…

    • milaum junho 23, 2013 at 9:06 am #

      que filosofia coxa, vc curte uma polo neh?

  72. Luciana Aquino maio 17, 2013 at 11:55 am #

    me veio tanta gente à cabeça enquanto lia esse post, que deu medo.
    e um pouco de fome.

  73. Ana maio 17, 2013 at 12:03 pm #

    Vc não foi muito fundo no visú do coxinha: calça jeans arrumadinha, camisa sempre pra dentro com cinto de couro, mangas dobradas e relógio bacaninha. Tem um custo $$ pra ser coxinha, né?

  74. Renato maio 17, 2013 at 12:05 pm #

    Rapaz, sou obrigado a dizer o que vc já previa, moleque pretencioso, mas com todo respeito, sobrou pretensão e faltou pesquisa.

    O que vc definiu como coxinha já contava com definição há décadas. É o mauricinho.

    O termo “coxinha” – e principalmente aqui na terra da garoa – designa um tipo curioso, aquele policial que passa diariamente naquele bar ou restaurante em busca de refeição gratuita (ou vulgarmente: coxinhas), em troca de uma suposta proteção que sua visita trás. São os coxinhas, agem sempre em bando (dois pra cima) e em alguns restaurantes a presença deles é maciça, havendo por vezes um rodizio (um grupo chega para o outro ir embora) que perdura o dia todo. Recentemente aproveitou-se a designação para fazer alusão à forma física destes policiais, normalmente semelhante à do quitute em questão.

  75. Renato maio 17, 2013 at 12:18 pm #

    Complementando.
    De algum tempo pra cá o termo vem sendo “adotado” por uma pequena galera mais jovem de classe média (normalmente de esquerda) para referenciar de forma pejorativa o tal mauricinho. A representatividade dessa adoção ainda é muito pequena, basta perguntar numa periferia ou na alta sociedade, ou mesmo ao próprio mauricinho do que se trata, e vc observará o corrente significado do termo.

  76. Eli Proença maio 17, 2013 at 1:21 pm #

    Não existe o VOX no nome do Bono, ele deixou usar faz muito tempo, só prá sua informação.
    De resto o texto está bem legal.

  77. Marcio Mattos maio 17, 2013 at 1:51 pm #

    Rotular é tão anos noventa!!! Graças a Deus!!

  78. joão maio 17, 2013 at 2:11 pm #

    que merda

  79. Mari Ruiva maio 17, 2013 at 2:23 pm #

    O texto é ótimo, mas as discussões geradas são incríveis…aehaehaheaheah..gente, como as pessoas podem criticar alguém que faz uma crítica? ninguém percebe a repetição do fato? afe….

    Pra mim, qdo eu chamo alguém de coxinha eu lembro mesmo é daquela do Viena ou do Estadão que vem com o osso junto…pq o que eu quero dizer sobre essas pessoas é bem essa imagem mesmo: um grande pau no cú, com o perdão da palavra! rsrsrrrsrs…
    vc foi mais além e eu amei a deifinição destrinchada, sem trocadilhos coxinhas..rá!

    bjks

  80. caio bonneau maio 17, 2013 at 2:48 pm #

    coxinha na periferia são os policiais

    • Roberto maio 17, 2013 at 4:28 pm #

      exato, esse negócio de chamar o pessoal certinho de coxinha é coisa de playboy boiola.

  81. Lia maio 17, 2013 at 2:55 pm #

    Eu te amo. Voce escreveu toda a minha teoria sobre coxinhas em poucos paragrafos. Obrigada.

  82. stephany maio 17, 2013 at 2:56 pm #

    Aqui no Paraná, coxinha é quem torce para o Coritiba.

  83. Rodrigo maio 17, 2013 at 3:57 pm #

    Gostei muito deste texto, principalmente pelo fato de você “jogar na cara” que todos nós somos um pouco “coxinha”. Anos atrás, escrevi algo relacionado a isso; posso fazer meu jabá: ;) Alá:

    http://darini.blogspot.com.br/2008/10/sociedade-fantasma.html

    Eu sempre me senti um pouco deslocado de certos pensamentos/atitudes-padrão… o camarada TEM que entrar numa faculdade (numa 5 estrelas do MEC, né?), TEM que seguir uma profissão que dê dinheiro, TEM que casar até tal idade, TEM que ter filhos até outra idade e TEM que inflacionar o mercado imobiliário com seu apê. E o carro, claro, que você citou. O “plante uma árvore, escreva um livro e tenha um filho” mudou para “compre um apê, uma SUV e tenha um filho” no século XXI.

    Eu me sinto de esquerda, de centro, de direita, coxinha, não-coxinha… como você disse, não somos apenas 0 ou 1.

    Abraço!

  84. ANTI maio 17, 2013 at 5:36 pm #

    >> SEU RECALQUE BATE NA MINHA COXINHA EMPANADA E VOLTA. <<

  85. Paulo maio 17, 2013 at 5:49 pm #

    Ah a galera tbm adora polemica, deixa o cara escrever pô. No fundo todo mundo é um pouco coxinha !

  86. Zé Barrichello maio 17, 2013 at 6:29 pm #

    babaca pretensioso e preconceituoso.

    • mariolemes maio 17, 2013 at 6:33 pm #

      feio bobo chato cara de melão.

      • Juliana Galante junho 25, 2013 at 7:11 pm #

        Morri! Muito bom Mario! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  87. deborah maio 17, 2013 at 6:35 pm #

    Sim, coxinha um dia foi pm. Hj rato cinza ou porcos fardados.
    Uma amiga sempre falava que fulano tem cara de coxinha. E todo mundo pra quem ela conferia esse adjetivo tem exatamente essa descrição.
    Um dia fui seduzida por um coxinha que pagava de skatista. Deus me mostrou o caminho feliz e me libertei dele. Hj ele tem seu suuuper carro, tem dois filhos (homens, com a graça de deus, pois ele não queria meninas), casado com uma coxinha que dá aula de balé enquanto ele trabalha numa multinacional que dá treinamentos pras pessoas se tornarem altamente eficazes e todo ano viaja pra miami, que é muito melhor que o brasil pq não tem violencia e é tudo baratinho (imagina um tommy hilfiger por 10 dólares!)
    Eu, bem, eu deixei um emprego coxinha pra ganhar a metade, fiz um monte de tatuagens, viajo pelo interior do pais pra conhecee o lugar que vivo – e eventualmente pra argentina, pq acho uma sociedade interessante. Sou feliz ao lado do meu marido pixador e skatista. Não temos filhos. Nunca iremos a Miami. Graças ao deus que me libertou do mundo coxinha…kkkkkk

    • Super Coxa maio 17, 2013 at 7:44 pm #

      Parabéns, ao invés de uma coxinha do Veloso, vc é uma coxinha alternativa, que pelo jeito sente a maior saudade e inveja do seu antigo amor coxinha… pffff….

      • mariolemes maio 17, 2013 at 8:14 pm #

        HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHA será que sou uma coxinha do boteco? Nunca se sabe.

  88. Anantodes maio 17, 2013 at 7:01 pm #

    Coxinha é a definição, de uma definição, o padrão.
    Existem erros nesse conceito, o primeiro é exatamente esse ponto cego do texto, hoje, o coxinha é aquele que é cultuado a comportamentos que não surgem de uma natureza pessoal, e sim da natureza histórica do convívio social, o desejo da aceitação. Nós não criamos o mundo e sim, entramos no meio. Calma lá, “estamos querendo colocar o burro na frente das carroças”.
    Coxinha no século XXI é achar que a sua concepção do mundo é diferente das outras pessoas, o padrão do comportamento hoje é não ter padrão. Isso que foi definido aí em cima de chama conservadorismo.

  89. aninha pimpolha maio 17, 2013 at 7:08 pm #

    a frase definitiva do coxinha “eu não paguei por isso”

  90. Piva Barreto maio 17, 2013 at 7:34 pm #

    Aqui em Goiás COXINHA são os PM`s!!!

  91. Caio Fonseca maio 17, 2013 at 8:42 pm #

    Ficou parecendo aqueles velhos discursos marxistóides de ódio embolorados de Marilena Piuí contra a classe média, a qual ela mesma pertence..

  92. Juliano maio 17, 2013 at 10:37 pm #

    Prezado

    Simplesmente ganhou o meu respeito. Um dos meus livros favoritos,(o favorito) é ”Pai Rico , Pai Pobre. Quando eu li esse livro pela primeira vez, o ”boom” psicológico em minha vida foi absurdo. Mudei minha maneira de pensar, de agir, o circulo de amigos e até minha namorada. Fujo, detesto, abomino essa historia de coxinha. No livro que citei esse estilo de vida é definido como ”corrida dos ratos” . O autor passa o livro TODO tentando explicar que somos criados como coxinhas ! E que necessitamos ousar, tentar, sem medo, para que enfim se consiga sair da corrida dos ratos e se conquiste a liberdade financeira (é sobre isso que trata o livro). Enfim , para que deixe de ser um coxinha.

    Abraços queridão , o texto tá o foda!

  93. Diana maio 17, 2013 at 10:44 pm #

    o texto é mega engraçado, a comicidade pela comicidade tbm é válida, estamos numa super afetação e tentamos achar um fundo político em tudo, ele é importante mas calma lá, não dá para rir por rir só uma vez? A temática hilária do texto se contrapõe aos super chatos que postam comentários do tipo “coxinha é você”. #vaza caetano huahuahua

  94. Pato Etico maio 18, 2013 at 12:19 am #

    Patético…

  95. Guilherme Frugoli maio 18, 2013 at 12:48 am #

    Cara, gostei bastante do seu texto.. Em um olhar diferente para a mesma situação, diria que muitas pessoas vivem suas vidas de maneira inconsciente. O ato de ‘ser um coxinha’ reflete fortemente o medo de viver uma vida de incertezas, de sonhar e crescer, de ter que sair de uma base estável e conhecida para pisar no desconhecido. É aquele arroz com feijão cotidiano, talvez uma farofa e uma pimentinha em cima, de vez em quando..
    É uma receita de bolo que da certo para você ter ‘uma vida adequada’… Mas afinal, o que é uma vida adequada?

    Estou lhe escrevendo aqui, principalmente, pelos comentários que li sobre o seu texto..
    Certamente é uma afirmação de um ponto de vista que, para muitas pessoas, será impactada como agressiva. Sempre haverá críticas e elogios ao seu trabalho, por melhor ou mais agradável que ele seja… Graças a Deus né… se não, seríamos coxinhas falando de outras coxinhas, mas achando ser empadas integrais de ricota com peito de peru light.
    No entanto, acredito que poderia ser mais sutil com alguns leitores que opinam de forma crítica e negativa a você.. O pessoal fala merda mesmo.. deixa rolar.. Como leitor, eu posso falar.. muitas vezes isso é por falta de sacanagem.. E ainda haverão outros que terão pensamentos diferentes aos seus e nem por isso são coxinhas…
    A vida é assim.. um é coxinha, outro é risole, outro é sanduíche natural. Conviver com as diferenças e respeitá-las é um dos maiores fatores para se ter paz.

    Enfim… Não lhe culpo por nada.. Afinal, o termo coxinha já existia antes de você defini-lo, como todas as outras coisas sempre existiram antes de alguém dizer que ‘criou’ alguma coisa. O diferencial na vida não é o que acontece, mas o modo como vemos cada acontecimento..
    O seu texto de definição sobre um coxinha é simplesmente divertido. Um ponto de vista com um humor sofisticado.

  96. Marco maio 18, 2013 at 1:15 am #

    Confirmado alto índice de “coxinhice” no autor do post…

  97. Luciana Villar maio 18, 2013 at 11:59 pm #

    A-M-E-I o texto, até pq aqui no Rio tb tem um monte de coxinhas. Mas se tivesse que sintetizar com uma só característica, eu diria que Coxinha é o cara que se acha informado pq lê a Veja toda semana… Abs

  98. Lívia F. maio 19, 2013 at 2:24 pm #

    Ótimo texto!
    Uma boa descrição pra parte acomodada da nossa sociedade, que infelizmente é maioria.
    E quanto as críticas, continue escrevendo, você manda muito bem.

  99. Claudia Paiva maio 20, 2013 at 3:06 am #

    Gostei da definição.É isso mesmo, de verdade! Tem também, em Sampa, a forma carinhosa de chamar os policiais militares de coxinhas, e isto por causa do baixo, que como os policiais civis também, então din din só dá pra comprar coxinha pro almoço…. Tanto a PM como a Civil aqui em SP Capital e interior, estão precisando demais de aumento de salário!!! Cheguei aqui através do Facebook de Polyanna Magalhães. Bacana o texto! :-)

  100. Bruno R. maio 20, 2013 at 9:35 pm #

    Hahaha!
    Parabéns pelo texto, é formidável!
    Ri horrores, em parte pelo humor inteligente e também por ter me identificado como um coxinha hahahaha.

  101. Cristina maio 20, 2013 at 10:26 pm #

    O texto me fez pensar: O que seria do mundo sem os coxinhas? A anarquia se instalaria…

  102. Samuel Rapchan maio 21, 2013 at 11:49 am #

    Bem, na periferia onde moro coxinha sempre foi sinônimo de policial. Aqueles que durante a ronda param no bar e comem uma coxinha ou tomam um café “gratuito”.
    O novo significado que o texto traz me era totalmente diferente e talvez seja de um coxinha….quem sabe?!

    • mariolemes maio 21, 2013 at 5:00 pm #

      Oi, Samuel!
      De fato, quem começou essa gíria foi o pessoal da periferia mesmo, e pra chamar exatamente os policiais militares que enchiam o saco mas que eram tão mal pagos que só tinham dinheiro para comprar uma coxinha.
      Mas o significado foi sofrendo mudanças, foi abrindo o leque, até abranger esse pessoal que eu descrevi no texto.
      Obrigado pela visita :)

  103. luiz tomazela maio 21, 2013 at 1:22 pm #

    O Reinaldo Azevedo chama o Haddad de o Super-Coxinha.
    Pelo que li , em especial, de Chauí, Marte e outros que o conheceram antes, durante e depois de tudo e sempre, ele se enquadra “certinho” no moçobom, organizado,planejado, compilado, emulado da silva.
    Não sei se você concorda com Super-coxinha, mas para mim ficou claro que não existe maniqueísmo, binário, yin ou yang, positivo ou negativo, o COXINHA está presente em todas as correntes políticas, sociais e econômicas, mas o recheio permanece sempre o mesmo.
    Parabéns pelo texto e senso de humor !

    • mariolemes maio 21, 2013 at 5:01 pm #

      Sim, Luiz!
      Existem coxinhas e super-coxinhas em todos os lugares.
      Obrigado pelo elogio ao texto e, principalmente, pela visita.
      Volte sempre ;)

  104. Tamara maio 22, 2013 at 2:41 am #

    Cara, qta gente chata mano, meu Deus! Calma gente, o texto do garoto não vai virar lei, definição no dicionário ou qqer coisa que o valha, é só um texto de um blog, não incita a violência, apenas expõe uma opinião de maneira coloquial e divertida!!! Pessoal, vão lavar louça, levar a mãe no mercado, o cachorro pra passear, o Vô no barbearia, vão tomar no rabo e se lascarem, façam qqer coisa, menos encher o saco num texto de blog!!! Caraca povo chato da peste!!!
    Mario, adorei o texto e suas respostas, dá trela pra esse povo chato não meu!!! Hahahahahaha!! Vamos rir mais pessoal, pára de chatisse!!! Essa nova geração quer discutir tudo, legal, se esse tudo não fosse tudo mesmo!!! Vão varrer a casa que é mto mais válido que esses comentários chatos!

    • Tamara maio 22, 2013 at 2:44 am #

      Ah, só mais uma coisa, mancada colocar U2 no meio, cortou meu coração, hahahahahahahahaha!!!! Coldplay eu acho coxinha, sou fã. mas acho kkkkkkkkkkkkkk!!! Os coxinhas estão em todo os lugares, coma-os, com chopp fica uma delícia! kkkkkkkkkkkkkkk

    • Paulo outubro 18, 2013 at 7:54 pm #

      Essa resposta foi a melhor principalmente na parte do tudo, parece até que daqui a pouco o bullying aos coxinhas vai ser discutido no programa da Fátima Bernardes!

  105. Alexabdre S. maio 23, 2013 at 7:24 am #

    Parabéns, adorei, sua visão sobre, o “comum” digo em si, não quem ou o que. Ha a gíria “coxinha” foi criada, em periferias, para se referir, aos policiais, pois, os funcionários do trafico, se se comunicação, com gírias “códigos” pois assim, confundido os agentes, infiltrados, Com o passar dos anos todo usuário “noia” aprendeu, e foi migrando para as classe medias, com toda essa evolução da cultura Hip Hop, em algumas letras, se referem ou fala sobre, os “coxinhas” policiais.
    Agora, sobre o medo, social que os “coxinhas’ (nerd´s) tem, de se ariscar,viver, ralar o joelho, com medo dador, o crescimento de mundo virtual, os medos, se fundiu, não educação, e base de formação, e ate referencia, para se distinguir, valores pessoas, como pessoas (nerd) responsáveis, dos irresponsáveis, esse, modo de distinção ou classificação social me irrita. Quem podi me classificar ! Ta sou semi-analfabeto, minha pele é de tal cor, tenho que me vestir, de tal (forma), kkkkkkkkk essas “for más” que nós criamos, e educamos os nossos, descendentes, poucos, educadores, que souberão se adaptar-se, ao novos alunos, revoltados, com o modo “coxinha” de viver, hoje vivemos no meio dos alargadores de orelhas, tatooagens, cabelos coloridos, mas o que mudou, não foi o medo, ou a educação ou a nova cultura (Y) de adolescentes, mas sim os valores, sociais, e ate internos, quem se auto-analisa e não se juga incapaz, ou não se torna hipocondríaco social, os medos, são mais valorizados, que os antigos afetos carinhos, Benevolência, se tornou só uma palavra do dicionario, todos sentem medo, de se apaixonar kkkkkkkkkkkk, porque quem ta pronto, pra ter aquela angustia, no peito, em saber, que TUDO o que vocÊ, criou alimentou, era só uma ilusão, e no final, o ser por quem vc se apegou, no fundo, ão era o que vc pensava, as surpresas, e a realidade fria da pessoas vazias, nos aprisiona dentro de um medo, o bicho papão, dos relacionamentos.
    (Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.)
    “William Shakespeare”
    muito obrigado, por expressar, sua opinião, gostaria de ler, mias suas opiniões, com esse estilo capcioso, de explicar.
    me desculpe os erros de português, Alexandre S.

  106. Ed maio 23, 2013 at 2:05 pm #

    Textozinho medíocre que não acrescenta nada a ninguém. A sociedade adora se dividir para que cada um se sinta especial, pertecente e não pertecente a algum determinado grupo que julga melhor e pior, é assim com absolutamente tudo e o autor só faz alimentar essa divisão social no lugar de dizer que é tudo a mesma coisa. Primeiro e último post que leio aqui. Autor, saia do armário e assuma sua coxisse!

    • mariolemes maio 23, 2013 at 2:25 pm #

      Pra um texto que não acrescenta em nada, até que consegui fazer você perder um bom tempo lendo, comentando e me atacando pessoal e gratuitamente.
      Obrigado pela sua visita tão acrescentadora neste blog tão reles.

  107. André Souza maio 27, 2013 at 5:03 pm #

    “A gíria nasceu em São Paulo , que é, por si só, o maior reduto de coxinhas do Brasil” – Tenho dúvidas… acho que Curitiba ainda tá na nossa frente nesta questão…hehehehe

  108. Lelo Rodrigues junho 3, 2013 at 7:01 am #

    Eu queria ser um coxinha…

  109. eduardo junho 4, 2013 at 3:05 pm #

    Uma pena este texto! poderia ser muito mais bem explorado sem ser preconceituoso. A maneira que escreve é como se fosse um ser superior pois nao é “coxinho”. QUANTO MERITO. PARABENS

  110. Mônica Cardoso junho 19, 2013 at 7:49 pm #

    Belo texto, mas ainda acho que coxinha é gíria pra policial militar, uma tiração de sarro com vale refeição deles, que antigamente só dava pra comer salgados e coisas o tipo.

  111. coacci junho 19, 2013 at 11:04 pm #

    BH também tá na luta pela patente da Coxinha! Por aqui, usamos esse termo a um bom tempo por causa do escandalo do nosso vereador Leo Coxinha (aka Leo Burguês). Mais informações: http://www3.cinemaemcena.com.br/pv/BlogPablo/post/2012/01/28/As-coxinhas-de-Leo-Burgues.aspx

  112. bernardoseixo junho 20, 2013 at 2:54 am #

    Seu texto teria boa saída em qualquer lanchonete, cai bem no gosto dos alternativos e descolados, mas faz um mal danado à saúde. Recheio de puro preconceito empanado com alguma massa cerebral – em suma, apenas um pastel que se acha mais gostoso que os outros. Sua escrita é elogiável, mas infelizmente se presta ao rancor de rotular o diferente com nome de salgadinho.

  113. Helena junho 20, 2013 at 8:25 am #

    A regra é: Não cagar fora do pinico!

  114. Gabriel junho 20, 2013 at 1:29 pm #

    Huahahaha, acho engraçado, acabei de me “assumir” coxinha no FB, por conta de umas visões estreitas de mundo de todos aqueles que se consideram “não coxinha”… Na real mêeeo, acho que todo mundo tem um pouco de médico e coxinha, como já disseram por aí. Não tem pobrema não, qual o problema da coxinha? Ela é gostosa, pô! Mas eu entendo e concordo com a indignação de algumas pessoas que se sentiram ofendidas… eu li esse texto, comecei dando risada, fiquei puto no meio e terminei com uma cara de ué gigante. Depois comecei a ler os comentários e críticas e aí vi que, pela atitude do autor do blog, ele tá é muito coxinha também! Mas na real, nada disso importa… eu não sou “coxinha” mesmo, embora eu esteja circulando mais pela classe dos coxinhas do que qualquer outra. Eu sempre tive “pavor” de coxinha, mas eu mesmo uso esse termo, de forma pejorativa mesmo, pra falar exatamente daquelas pessoas que estão descritas aí… e aí vi que o meu preconceito e o preconceito de todo mundo (anti e pró coxinha) é uma coxinização da moral e bons costumes. Sei lá. Coxinha sim, e daí? Olha, na Faria Lima tem uma padoca dessas chique, chama Quinta do Marquês… tem uma na Castelo Branco também e essa mega-padoca faz parte de um grupo que tem outras mega-padocas na cidade-bairro mais coxinha de SP: Alphaville (mas lá tem outro nome). Enfim, o que eu queria dizer é que em qlq uma dessas daí supra-citadas, eles têm uma coxinha de camarão que é o ó do borogodó… vale a pena, mas é cara, então só vai se você for dázelíti! Bjão pra todos os coxinhas de plantão! (E ah meu, na boa, abraça isso aí… já tão zuando mesmo, falando que os “coxinha” tão despolitizando “os movimento” e pá, vamos fazer uma “Marcha dos coxinhas”, que nem tem a “Marcha das vadias” e talz… todo mundo de pólo, preferência cores claras “qualquercoisa-bebê”, de marca hein? Nada de Hering, ou essas coisas xinfrin do Brás! E não esqueçam de levar os iPods com Coldplay na setlist! Stay true! hahahahahaha)

  115. Costa junho 20, 2013 at 5:40 pm #

    Cara! Boa definição, na minha opinião os coxinhas representam o resquício da geração X. Ter um diploma, um boa emprego (carreira), uma casa com cercado branco, familia e viajar 2 vezes por ano para o exterior.

  116. Marcelo junho 20, 2013 at 8:33 pm #

    tem coxinha indie também. Posa de mal-arrumadinho, descolado, preocupado com as grandes questões da humanidade, mas pensa igualzinho ao pai que lê a Veja e espalha sua sabedoria sobre a mesa do almoço.
    Acha que a iniciativa privada faz tudo melhor, mas estuda em universidade pública. Afinal “paga impostos”, ainda que nunca tenha trabalhado. E fala mal dos “vagabundos” sustentados por bolsa-isso, bolsa-aquilo, mas é sustentado pelo pai e estuda em uma faculdade pública paga por todos os cidadãos ricos ou pobres (mais pagas pelos pobres, que não sonegam).

  117. koyaa (@koyaa1) junho 21, 2013 at 6:48 pm #

    A melhor a maneira da verdade vir à tona é com ironia e comédia, hahahaha demais o texto!

  118. eduardo junho 22, 2013 at 2:51 am #

    Hum, achava que coxinha era policial..rs

  119. Cassia Rocha junho 22, 2013 at 4:19 am #

    Gostei demais —do seu texto, não dos coxinhas!

    • Cassia Rocha junho 22, 2013 at 1:47 pm #

      …interessante notar o número de coxinhas que ele atraiu. “Eles” são, de-fi-ni-ti-va-men-te, a norma, rarara… Você tem, Mário, uma qualidade rara e que é, em si, o melhor antídoto contra a coxisse —humor! Acho que não vou sair mais do seu blog!

  120. Elaine Gobbo junho 22, 2013 at 6:42 pm #

    AMEI!!!!
    Cheguei à conclusão que moro dentro de um buffet!!rsrsrsrsrsrs

  121. Valéria junho 23, 2013 at 2:06 am #

    Muito bom! Só uma pequena observação: chamar Bono de Bono Vox é muito coxinha, típica coisa de rede globo de televisão. Espero que dizer isso não seja muito coxinha, sou mais pão de queijo!

  122. milaum junho 23, 2013 at 9:02 am #

    gostei um pouco, vc é legal… vamos ser amisgos(as) não vi se vc é mina ou cara kkkkkkkkk….to beuba

  123. Bel Melo junho 23, 2013 at 8:47 pm #

    Mario, seu texto é uma delícia…morri de rir e agora tô com fome!
    (só uma coxinha bem gostosa pra me salvar..)

  124. Pedro Pacheco junho 23, 2013 at 10:03 pm #

    E a pessoa que não propõe, não exemplifica por si mesma e não luta por uma sociedade melhor (sem as corrupções, impunidades generalizadas e et ceteras) é o quê? E os que querem deixar a situação como sempre foi há décadas são o quê?.
    É GADO! Gado bem adestradinho com drogas (desde o baseadinho leve até o crack, etc.) ou com cervejinhas, vodka, etc. e todos os CIRCOS para a distração mental, física e sexual que o gado adora. (para não enxergarem a roubalheira que sofrem nos impostos e nas contribuições dos próprios salários e o quê recebem em troca: a porcaria de escolas, de hospitais e de aposentadorias futuras, enquanto seus maravilhosos lideres de oposição e “pseudo esquerda” bem falante nos microfones, vivam como nabados). Mas… O governo sabe que se der um CIRCO bonito e iluminado pro gado, facilitar a venda da maconha e da cerveja, mesmo para os menores de idade, o gado adora de paixão, pois é lindo ser diferente da burguesia coxinha.

  125. Deva junho 24, 2013 at 3:27 am #

    Quero ver alguém neste planeta que troque o certo pelo incerto e ache isso uma coisa boa. Ou ainda que não planeje o futuro, que prefira levar uma vida sem firmezas. Que tal trabalhar um pouco?

  126. anacranes junho 24, 2013 at 7:29 am #

    Estava lendo os comentários e tinha isso “Se você não for fã de black keys e/ou two door cinema club e não tiver um Ray Ban way-farer guardado no móvel ao lado da cama”

    Que cazzo ela quis dizer com isso? Impressão minha ou ela te chamou de hype?

  127. Giovanna junho 25, 2013 at 3:01 am #

    Uma perfeita ironia!
    Ótimo erguer redomas que nos impedem de nos machucarmos… E de sermos tocados também! É o único risco que os coxinhas correm. Adorei o texto, parabéns.

  128. Loise junho 25, 2013 at 5:31 am #

    Consegui ler os 226 comentários… Ufa! Vim parar aqui através de um conhecido no FB, muitas pessoas estavam perguntando o que significava o termo coxinha que ele andava postando por causa do atual cenário de manifestações no Brasil e ele sugeriu essa página. Para mim, o texto do MarioLemes é perfeito, define bem quem senta a bunda no sofá, assiste aos telejornais, reclama de tudo, mas não tem coragem, nem tempo para fazer algo e mudar o que precisa ser mudado, pois já tem a vida garantida, o carro bacana, os fllhos numa escola decente e que consegue, sempre, comprar os itens básicos de sobrevivência necessários para mostrar aos amigos/ família o quanto é feliz e “bem sucedido”. Parabéns pelo texto!

  129. Luiz Felipe junho 25, 2013 at 6:08 am #

    Ainda não entendo totalmente, apesar de bem explicado, o conceito de coxinha aí, haha. Tô tentando achar uma analogia carioca pra isso. No mais, texto bacana, abraço.

  130. Jneto junho 25, 2013 at 11:59 am #

    Invejoso, recalcado.

  131. Zoltan junho 25, 2013 at 12:40 pm #

    Eu acho que a pessoa que busca um modo de vida simétrica não pode ser julgada por isso. Ela pode ser inteligente, ter muito estudo e conteúdo, ter opniões discordantes a respeito do mundo e do sistema em que ele vive, mas no fundo, sabe o que importa? É você ser capaz de se manter feliz. E não importa se você é um pagodeiro, se você é um rockeiro, se você é um socialista ou um capitalista, se você é ateu ou religioso. A vida é curta e temos que vivê-la da melhor forma possível. Não existe um modo de vida melhor que o outro, e o texto traz tom pejorativo para um estilo de vida que não é nada mais do que alguém que só quer viver sua vida feliz, e como você mesmo disse, sem prejudicar ninguém.

  132. Mariana Guimarães junho 25, 2013 at 8:27 pm #

    Ri muito! Só faltou falar das SUV (“Sport Utility Vehicle”)!

  133. Eduardo junho 29, 2013 at 11:54 am #

    Gostei da postura do autor quando alguém discorda da visão dele. Me lembrou um pouco o perfil oposto dos “coxinhas” citado por ele.

    No mais, pra mim, o que representa melhor um coxinha são os atores cariocas da Rede Globo. E um lugar para aprender a agir como um é assistindo o programa “Estrelas” da Angélica.

  134. André junho 29, 2013 at 9:10 pm #

    NÃOOOO! NÃAAAAOOOO! NÃOOOO… Chame eles de “Playboy”, “Zé Bosta”, “Mauricinho”, de qualquer coisa MENOS DE COXINHA! Coxinha é uma maravilha tipicamente brasileira, é uma iguaria! Aquelas com requeijão é uma explosão de paixão e amor. Tem um bom tempo que não como uma coxinha, e estou sofrendo de abstinência. Enfim, toda vez que eu vejo a palavra “coxinha” sendo aplicada de forma pejorativa me bate um desespero, e fico sem entender. Então peço ao povo brasileiro, MUDE ESSA GÍRIA!

  135. Ana julho 1, 2013 at 5:04 am #

    Muito bom!! Parabéns! Ótimo texto! Fui procurar a definição de “coxinha” por um debate em minha casa e o primeiro que me deparei foi seu texto!

  136. Eliana Simas (@elianamuseolog) julho 1, 2013 at 4:41 pm #

    Chico Buarque já cantava… “vence na vida quem diz sim…” Eles só querem viver a vida sem ter que se envolver verdadeiramente com ela! Por que viver hoje em dia com compromisso de ser o que se quer ser e de defender sempre o que se pensa e pôr isso em prática é uma ameaça para muitos! Ser igual é que é ser normal, ser diferente é ser rechaçado e rotulado e eles temem muito o “Fracasso”… Até para ser coxinha tem que ter coragem e se agrupar porque o temor do movimento fracassar e eles se tornarem diferentes como qualquer outra pessoas deve ser assustador…Bom pelo menos agora eu sei o que é COXINHA, fico lendo isso o tempo todo no Facebook e não entendia nunca!

  137. Duda julho 3, 2013 at 4:55 am #

    Hahahahaha.. Muito bom o seu texto. Não teria como discorrer sobre os “coxinhas” sem usar um tom que, pelo q percebi nos comentários, muitos classificaram como pejorativo, mas eu diria ser jocoso.
    Sou paulistano e os conheço muito bem. Eu estaria mentindo se dissesse que não me senti um “coxinha” em algumas passagens.., mesmo não sendo um.. hahaha. Legal, o bom texto é o que mexe com a gente.

  138. ARC julho 4, 2013 at 2:06 pm #

    E nada como a ignorância de achar que a filantropia (coisa que ele não faz) do Bono é ser coxinha. Ativismo é bem diferente de filantropia. Seria interessante o coxinha que acha isso deixar de provocações vazias e ir procurar saber antes de falar.

  139. Теренсио Де Оливейра julho 4, 2013 at 9:42 pm #

    Ok, vc pode saber o que é coxinha, mas não sabe o q é U2

  140. Cegaderaldo julho 4, 2013 at 11:23 pm #

    Olá,
    bom, a extinta TV diário do ceará tinha uma dupla de personagem chamados coxinha e doquinha que deitavam falação sobre tudo e todos, pela frente era uma amizade extrema, por traz, era descendo a madeira. Por aqui, no nordeste, Coxinha quer dizer quem faz a mesma disgraça.

    • mariolemes julho 5, 2013 at 4:06 am #

      Opa! Valeu pela visita e pela curiosidade :)
      Volte sempre e mande um beijo para todos os nordestinos <3

  141. Nathália julho 5, 2013 at 12:14 am #

    Lutam por uma sociedade mais coxinha? Eu achava que os coxinhas eram tão conformados com as coisas que eles não têm a iniciativa de lutar por algo… Bem, a curiosidade foi despertada. O que você espera da sua vida daqui a 20 anos? Pode responder por e-mail, se preferir.

    • mariolemes julho 5, 2013 at 4:09 am #

      Bom, eu tenho 23 e, daqui 20 anos, terei 43.
      O que eu pretendo: ter viajado bastante e ter bastante dinheiro. Quero poder me dar ao luxo de gastar com umas coisas completamente desnecessárias tipo um zepelim ou uma coleção de flamingos.
      Pretendo estar trabalhando com o que eu gosto, do jeito que acontece hoje (mas é muito provável que daqui 20 anos eu goste de outra coisa).
      Pretendo ter cultivado uns bons amigos. Não muitos, mas bons. E pretendo ser lido por MUITA gente.
      Adoro que leiam o que eu escrevo, mesmo que achem uma merda. Hehehe.
      Pretendo várias coisas pra daqui 20 anos, e outras tantas eu pretendo para a semana que vem.
      Uma delas, é que você volte a visitar este blog.
      Beijos :)

  142. Gisela Furtado julho 5, 2013 at 3:33 am #

    Todo coxinha é chato, é muito chato, é CHATO DEMAIS !!! E tem aaaass coxinhas também (minha irmã é uma, e como!)… Haja paciência pra esses chatos todos !!! O pior dos e das coxinhas é a falta de humor… E eu ADOREI o texto! :))

    • mariolemes julho 5, 2013 at 4:10 am #

      VALEI :D

  143. Ildebrando Souza julho 5, 2013 at 3:44 am #

    Ótimo! Embora tenha a versão ‘nossos dias’ já era assim na década há muitos anos. Se tiver tempo dê uma espiada na música “Little Boxes” com Malvina Reynolds. É a pura definição dos coxinhas antigos.

    • mariolemes julho 5, 2013 at 4:10 am #

      Opa! Valeu pela visita e pela dica.
      Tá anotado.
      Volte sempre ;)

  144. Augusto R julho 5, 2013 at 11:31 am #

    Realmente estou ficando velho, Não sou e não moro em sp… nos meus bons tempos eu só comia coxinhas… hoje já não posso pois tenho que controlar meu colesterol e todas as besteiras que meu médico me pede para não comer (até a enfermeira dele eheh). Ainda bem que só soube destas coxinhas no meio das manifestações…
    De qualquer forma, sempre fui um anarquista. Por convicção e não por acomodação partidária. Uso polo, camiseta, terno, camisas azuis… e tudo isso ao mesmo tempo. Não me importo com isso. O que eu uso só diz respeito a mim mesmo… nem sempre e não tanto assim eheheh ainda vivo na sociedade, não sou um alienígena!
    De qualquer forma, as vezes vou na casa dos outros e faço questão de colocar meus cotovelos em cima da mesa enquanto almoçamos.
    Acho essa história de “rotular” uma m… ou melhor muito ruim. Uma forma fácil de colocar qualquer um dentro de um pote qualquer numa prateleira qualquer. Cultura dos pequenos ditadores.
    Mas o humor, esse sim… tem o direito a faze-lo. Não se pode fazer humor sem rotular, sem ser preconceituoso, sem fazer críticas as avessas, e sem revelar um pouco de si mesmo. Teu texto pra mim é bem humorado, quase um… come é mesmo… stand up (?) escrito.
    Bem escrito, o português bem colocado (coisa de coxinha? eheheh), humorado… sem ser chato. A definição …. não deve mesmo ir para o wiki sei lá o que… mas valeu, pelo menos me fez vir até aqui, e pelo visto fez alguns cérebros funcionarem. Abraço

  145. Victoria julho 5, 2013 at 2:20 pm #

    Vim comentar com medo porque gosto de The Big Bang Theory e Coldplay, será que eu devo me sentir um lixo na sociedade por causa disso? Hahahahah.
    Gostei bastante do seu texto e do jeito que, mesmo tratando de um assunto um pouco complexo (complexo, digo, porque verdade seja dita é difícil dar uma definição, mesmo que não muito ”aprofundada”, para um tema como esse), ainda manteve o humor.
    Se você soubesse quantos coxinhas eu estou vendo sair do armário atualmente! Gente que conheço há muito tempo e sempre imaginei um pouquinho mais politizada ou mesmo interessada, esforçada (pra não dizer que nunca foram lá grandes gênios), achando que cantar o hino do Brasil de costas vai fazer uma reforma política, enfim… Adorando o Jabor depois que ele se desculpou, jogando a culpa dos males do mundo nas costas da Dilma e descendo a lenha na Globo sem saber por quê, mas porque todos fazem…

  146. Jaime Salazar julho 5, 2013 at 2:28 pm #

    Mario Lemes nos ha dado una definición muy creativa aunque incompleta del vocablo “coxinha”. Gracias, Mario, bella descripción del lado aparentemente negativo de estos individuos. Debe haber por cierto un aspecto digno de imitar en estos “caballeros de la coxa redonda”.

    Por otro lado me parece muy razonable el comentario de Ricardo César Serrazes Araujo. De muchos otros comentaristas también aunque algunos son groseros y reaccionan como si se les hubiera tocado en la herida. A final de cuentas se hizo sólo una definición parcial y honesta. Gracias, Mario.

  147. Coxinha é sua vó, aquela banguela. julho 5, 2013 at 5:19 pm #

    Só clichê. Autor quer ser pseudo-reacionário. Ridículo. E se me chamar de coxinha é porque tem a mãe na zona.

  148. Virginia Sampaio julho 7, 2013 at 10:35 pm #

    Poxa, como muita coxinha, curto Coldplay, U2,, tenho quase o dobro da sua idade e apesar das loucuras que ja vivi, me enquadrei em algumas das descricoes acima, sera que estou em metamorfose?
    Bom, ja morei em varios lugares, viajei bastante, nao parei de me indignar, contestar e brigar, preifiro ficar duranga do que trabalhar em algo que nao gosto, lembrando disso, talvez eu tenha salvacao, tambem tenho caracteristicas de pastel e outros salgados mais.
    Hoje desejo ter filhos, mas nao quero parar de viajar, quero ter grana e uma vida confortavel, mas nao me submeto a qualquer coisa..
    Vamos fazer o seguinte: vc me leva no famoso Veloso e eu te levo pra comer coxinha de palmito na Rua Augusta, ta valendo?

  149. Regina julho 11, 2013 at 11:06 pm #

    Não sei se gostei mais do texto que você escreveu, da definição agradavelmente bem escrita sobre o termo “coxinha” ou das suas réplicas a comentários bem coxinhas. Procurei pela mesma definição em outro blog e acabei ficando com cara de pastel. Sem dúvida, a sua definição de “coxinha”foi a mais saborosa que li na atualidade. Como diriam os “coxinhas”: “coxinha categoria Veja!”.

    • mariolemes julho 12, 2013 at 4:59 am #

      Ahahaha. Saboroso é esse seu comentário!
      Volte sempre! :)

  150. Markin Ramon julho 12, 2013 at 9:43 am #

    Texto magnífico.Os coxinhas devem ter metido o pau nos comentários.

  151. MARCELO julho 12, 2013 at 5:01 pm #

    PÔXA, OS COXINHAS DEVIAM IR A PROTESTOS, AFINAL O QUE SERIA DOS COXINHAS SEM UMA PIMENTINHA NÉ? (SPRAY DE PIMENTA DA POLICIA MILITAR)

  152. Vitor julho 13, 2013 at 4:04 am #

    E eu achando que ia falar de coxinha mesmo…que, convenhamos é uma das maravilhas da culinária..

  153. Jandriele julho 13, 2013 at 11:46 pm #

    Achei inteligente a descrição que foi dada aos coxinhas e achei o texto bem envolvente, mas ele é tão COXINHA, é como se você estive se descrevendo.

  154. Googleinurl julho 14, 2013 at 6:37 am #

    Altas risadas com os comentários, ótima definição.
    Coxinha é a formiguinha do sistema.

  155. Isadora julho 15, 2013 at 9:37 pm #

    achei ótima a sua definiçao, mas pra mim, voce esqueceu de dizer que os coxinhas idolatram o futebol, fazendo questao de irem aos estadios e gritar “o gigante acordou” e outras babaquices do tipo. E que eles tambem podem chegar a serem violentos, como nos casos que vimos de coxinhas batendo e expulsando pessoas segurando bandeiras de partidos nas manifestaçoes.

  156. Jorginho julho 17, 2013 at 12:18 pm #

    Texto típico de um coxinha… Só coxinha, daqueles bem coxinha, pra se preocupar com coxinha. Hoje o padrão não é a camisa Polo, e sim a xadrez. O braço tatuado em manga não é mais exceção, é regra. Daí, se vc se deparar com alguém com os braços tatuados, barba por fazer e camisa xadrez (ou camiseta com estampa engraçadinha), é muito grande a chance de você estar de frente para um típico coxinha dos anos 10…

  157. Chris julho 18, 2013 at 7:18 pm #

    Aqui está um exemplo bem claro da mentalidade mediana do brasileiro: a crítica preconceituosa atrás do vidro, de um jeito covarde e malicioso.

    Eu acho que tem lugar no sol pra todos, que ser “coxinha”, seja “coxinha”; quer ser revolucionário, seja revolucionário, etc et all… Ficar falando o que o outro não faz é que faz você não usar a própria ousadia.

    Em vez de focar no que faz diferença, seu texto carrega uma bandeira de preconceitos contra “coxinhas” ou contra qualquer outra coisa que seja diferente de você. Pela sua definição, eu não sou “coxinha” e acho que seu texto não serve para melhorar o mudo… em nenhum ponto., nem como humor.

    Vai aí uma sugestão: sem criticar a vida alheia, vai fazer alguma coisa produtiva.

    • Chris julho 18, 2013 at 7:44 pm #

      Aqui está um exemplo bem claro da mentalidade preconceituosa, crítica atrás do vidro, de um jeito covarde e malicioso.

      Eu acho que tem lugar no sol pra todos, que ser “coxinha”, seja “coxinha”; quer ser revolucionário, seja revolucionário, etc et all… Ficar falando o que o outro não faz é que faz você não usar a própria ousadia.

      Em vez de focar no que faz diferença, seu texto carrega uma bandeira de preconceitos contra “coxinhas” ou contra qualquer outra coisa que seja diferente de você. Pela sua definição, eu não sou “coxinha” e acho que seu texto não serve para melhorar o mudo… em nenhum ponto, nem como humor.

      Vai aí uma sugestão: sem criticar a vida alheia, vai fazer alguma coisa produtiva.

      Seu comentário está aguardando moderação.

  158. Alexandre BC julho 19, 2013 at 2:00 pm #

    Quanta gente com medo de ser coxinha, né? hehehe! A dica pra compreensão deste texto é captar o clima coxinha. Tanto faz as definições, é o ar coxinha que conta!

  159. Marcelo Torres julho 20, 2013 at 2:36 am #

    Muito bom e divertido o texto. Como residente de São Paulo, me alivia saber que aqui é considerado o maior reduto do país, isso porque eu achava que o “coxismo” fosse algo forte a nível nacional.
    Só descordo dessa parte: “O coxinha não toma bomba no colégio e raramente tranca uma faculdade.”. Isso não tem nada a ver com ser coxinha.

  160. Danilo Henrique julho 22, 2013 at 4:39 pm #

    Curti a definição….para os que criticam o autor, lembrem-se, todos somos um pouco coxinha….

    Buscar se sentir-se seguro as vezes é normal!

    Mas como ja dizia o grande deus Apolo: Nada em excesso! Fui….

  161. Isa julho 25, 2013 at 6:52 pm #

    Ó céus…quando penso conformada, a respeito de grupos sociais (traumatizada por não fazer parte de nenhum quando adolescente) me vejo incluída em um, mesmo que informal…tudo fruto de uma sociedade anomana capitalista…ou seria essa a consequência?…sei la…é muito recheio pra minha massa…enfim…ótimo texto, rendeu uma leitora ;)

  162. Mauricio Placeres julho 31, 2013 at 3:42 pm #

    quanta bobagem

    • mariolemes julho 31, 2013 at 3:52 pm #

      quanto frango com catupiry… HUUUMMMMM

  163. aroldo agosto 1, 2013 at 9:45 pm #

    Muito divertido e instrutivo rsrs

  164. Aroldo Careaga agosto 1, 2013 at 9:47 pm #

    Essa é umas das definições mais divertidas e instrutivas que eu já tive acesso, muito bom!!!

    • mariolemes agosto 7, 2013 at 3:01 am #

      Obrigado, cara! :)
      Volte sempre!

  165. Lili agosto 2, 2013 at 7:39 am #

    Acabo de descobrir que sou uma coxinha.
    Tenho tudo isso:
    Uma família que gosta de mim, filhos lindos em boas escolas, tenho um bom carro e uma boa casa e adoro trabalhar e só meu gosto musical é diferente vou experimentar ouvir as pessoas citadas, com certeza vou gostar pois gosto de gente que se importa com o outro, se o som não for muito ruim eu encaro.
    Sou feliz sendo uma coxinha!!!!!E vc?
    Seus filhos estão em péssimas escolas e te odeiam, sua família não te admira nem torce por vc, seu emprego é uma merda, não tem carro, se importa com o próximo desde que ele esteja bem longe, e dorme de camiseta suja………irada a sua vida!
    Cada um com o seu cada um

    • mariolemes agosto 7, 2013 at 3:01 am #

      Como você é feliz.
      Feliz ao ponto de precisar vir até aqui reafirmar sua felicidade.
      De fato, muito feliz. E muito segura de si também.
      Meus parabéns!

    • iyashindokuma2 agosto 30, 2013 at 5:29 am #

      É, dona Lili, até seu nick é típico de um coxinha. Vc não leu bem o bom texto e, se leu, não entendeu: o autor CRITICA essa batalha dos coxinhas pela aceitação da MAIORIA. Ou seja, se vc acha que é feliz só porque todos ao seu redor te amam, então na visão do autor vc é uma coxinha e é muito INFELIZ por isso. Pois o autor deixa implícito, e nenhum dos comentários aqui citou isso, que a diferença entre um coxinha e um não-coxinha é o AMOR PRÓPRIO.

      Eu me identifiquei como coxinha em vários pontos, mas sou totalmente diferente em outros. Sou meio coxinha: e daí? Fiz minhas escolhas pensando no MEU bem-estar e na MINHA felicidade. Não teria problema NENHUM em bater de frente com o establishment, caso a via-de-regra viesse a não me apetecer. Não visto a roupa que todo mundo veste para ser aceito na sociedade; visto porque me sinto confortável com ela. Ouço a música que me agrada, e se ela vira modinha, melhor pros outros que aprenderam a ter o meu bom gosto. Meus exemplos se sucedem para explicar que o mais importante é fazer SUAS PRÓPRIAS ESCOLHAS e não aquelas que vc ACHA que sua “linda” família quer que vc faça.

      Mesmo o autor se revela meio coxinha, afinal todos somos meio coxinhas, somos educados para tal. Mas ao criticar os coxinhas, ele fez o seu mea-culpa, e eu o aplaudo por isso. Mas o coxinha verdadeiro, “Coxinha” com cê maiúsculo, se acha um ser perfeito, que alcançou a excelência social e por isso está imune a qualquer crítica. Sacrificou sua própria paz de espírito pra isso. Sacrificou sua felicidade mais íntima por isso. Mas a verdade é que este tipo não passa de uma vaca-de-presépio frente aos ditames do patronato, a famosa elite global que define até mesmo que refrigerante (Coca-Cola) devemos tomar nos almoços coxinhas de domingo.

      Por isso tudo, tenho pena de vc e dos seus filhos. Como vc, eu também sinto orgulho de ter um filho lindo, mas ao contrário de vc, eu não tive filho pra causar espécie na vizinhança. Eu tive filho pra ter mais um amigo de verdade junto a mim, pra poder dar e ganhar carinho, e pra poder multiplicar por dois meu voto nas eleições, já que tem muitos coxinhas como vc votando errado e atravancando o progresso de nossa sociedade.

      Enfim… Parabéns pelo seu carro e pela gravata do seu esposo. Se bem que eu escolhi não tê-los em minha vida, são desconfortáveis e dão muito trabalho pra mantê-los. Prefiro gastar meu salário de classe-média com videogames, revistas e indo ver futebol no estádio, que aliás é um hobby tipicamente coxinha, convenhamos…

      • Pedro julho 15, 2014 at 12:35 am #

        Caralho iyashindokuma2,! Parabéns! O mariolemes levantou a bola e tu chutaste pegando na veia ( fiz uma analogia bem coxinha).
        O problema de ser coxinha, ou outras mil variantes de seres insignificantes que somos, é se achar o “Dono da Verdade”, VERDADE que não existe e nunca vai existir (tu salvaste a coleção de camisa polo que tenho).

      • Pedro julho 15, 2014 at 12:59 am #

        opsss….alguém pode interpretar mal e seria uma falha minha pois escrevi muito rápido e resumido, então reitero: Gostei muito do texto e mais ainda do comentário do iyashindokuma2.

  166. Jeferson H agosto 16, 2013 at 9:18 pm #

    Virei fã! Você escreve muito bem, com estilo próprio e com um toque de humor inigualável.

    • mariolemes agosto 17, 2013 at 1:13 am #

      Obrigado :))) volte sempre

  167. Elaine agosto 23, 2013 at 3:30 am #

    Eu acho que de médico e de coxinha cada um tem um pouco.

  168. André agosto 27, 2013 at 11:32 pm #

    Coxinha não é PM? Eu sempre soube que era esse apelido dos policiais militares aqui em São Paulo…

  169. raimundo setembro 3, 2013 at 10:06 pm #

    O texto está muito bem escrito… Mas, após a leitura sei menos ainda o que venha a ser um coxinha que quando comecei a ler o texto.

    • mariolemes setembro 18, 2013 at 5:06 am #

      HAHAHAHAHHA então ele não tá tão bem escrito assim, né, meeo!

  170. Zezinho Horta setembro 23, 2013 at 11:03 am #

    Um texto inteligente mas demonstra um certo despeito. Por acaso sua mãe não sente orgulho de vc?. Vc quando começou a trabalhar não tinha preparo e hj ganha uma miséria e culpa o sistema por isso?. Por acaso vc casou uma moça de vida fácil e esta revoltado com isso?. Pastel para mim é cabeça oca . .Em resumo: Texto cliche, rancoroso, demonstra inveja de quem tem amor de familia, boa educaçao e bom emprego, VC deve ser cotista , beneficiario de bolsa alguma coisa, ter um financiamento minha casa minha vida etc, Senão , esta desejando qualquer outro beneficio do governo.

    • mariolemes setembro 23, 2013 at 2:30 pm #

      MAS GENTE! pelo que você está dizendo, é impossível alguém escrever sobre qualquer coisa se não tiver um interesse muito pessoal pra isso, né?
      Então, ao seu ver, quando Machado de Assis escreveu Capitu, ele estava apenas querendo que inventassem o exame de DNA, etc.
      Cara, você é doente.

      • Zezinho Horta setembro 23, 2013 at 3:09 pm #

        Qdo se escreve um texto tão rancoroso , invejoso como este vc demonstra sim muito interesse pessoal. Conta ai um pouco de sua vida, quem é, onde mora, onde trabalha, familia, suas frustações etc. Vamos achar no texto um reflexo de vc.

      • mariolemes setembro 23, 2013 at 3:16 pm #

        Mas a interpretação de que é um texto rancoroso é só sua. Não conto um pouco da minha vida pra você porque não lhe devo satisfação e nem sei quem você é. Mas lendo outros textos desse blog, você pode descobrir um pouco mais sobre euzinho, essa criatura tão invejosa e recalcada que fala de coxinha para conseguir bolsa do governo.
        (estou até agora pensando em quão absurda foi essa teoria, ahahah)

      • Zezinho Horta setembro 23, 2013 at 3:28 pm #

        Na realidade sua vida pouco interessa. Muito menos outros textos de sua autoria. Mas vc falou uma coisa certa : Recalque. Leia mais e continue praticando, vc escreve bem , falta-lhe argumentos e boas ideas. Procure assuntos menos pessoais, aquele tipo que não lhe sai do coração, não se exponha na internet. Talvez assim ninguem mais lhe peça para falar de sua vida.

      • mariolemes setembro 23, 2013 at 6:16 pm #

        Ora, ora, ora.. vejo que temos aqui um genuíno GURU DAS PAUTAS.
        Com o perdão do apelo infanto-juvenil, fica a pergunta: por que você não vai pautar a senhora sua mãe?
        Obrigado.

      • Zezinho Horta setembro 23, 2013 at 7:28 pm #

        Seus textos e comentarios sempre remete a figura da mãe. Voltando ao meu primeiro comentario: Tua mãe não sente orgulho de vc?. VC não consegui arrumar uma boa esposa e dar um neto a sua mãe?. Essa é uma descrição tua de coxinha. Ta vendo que tem tudo relacionado. Vc se sente fracassado profissionalmente, não tem uma familia que te ama, teu (tua) companheiro (a) não é flor que se cheira. E ai vc tenta justificar criticando aquilo que vc gostaria de ter mas não tem. Entendi.!!!.

      • mariolemes setembro 23, 2013 at 8:38 pm #

        E não é que, além de editor de conteudo, você também é meu psicanalista? Olha, cara, muito obrigado pela ajuda, valeu mesmo. Volta mais tarde.

  171. Romário setembro 26, 2013 at 7:50 pm #

    Gosto do Coldplay, não me sinto coxinha

  172. Odlanor Tolanhopre outubro 3, 2013 at 3:06 am #

    NÃO SABIA OQUE ERA O TAL DO COXINHA, MAS ANALISANDO NO FUNDO TODO MUNDO É UM POUCO COXINHA. EU TAMBÉM!!1
    MAS E DAI??? FODA-SE
    PELO MENOS GANHO 100 MIL/MES.
    NO FUNDO OS DITOS “ALTERNATIVOS” MORREM DE INVEJA DOS COXINHAS!!!!!kkkkk

    • Paulo outubro 18, 2013 at 8:22 pm #

      Pode ser mas não esqueça que quando a crise pegar de vez e você estiver cozinhando talharim numa panela de alumínio no meio da praça você terá inveja dos coxinhas funcionários públicos que vão continuar recebendo os seus 4 mil/mês.

  173. José Porfiro outubro 8, 2013 at 9:55 pm #

    Poxa, tanta preocupação com o comportamento político dos outros.

  174. Priscila outubro 9, 2013 at 5:06 pm #

    Completamente contraditório. Até onde ser, coxinha é gente alienada,que não busca conhecimento. Então pra ser como “você” (não ser coxinha) é proibido ter coldplay como banda favorita, comprar boxes na fnac, até mesmo usar polo (aposto que vê alguém de polo na rua e já julga, mas cara é só uma blusa, relaxa ai). Mas por que? É obrigatoriamente coisa de coxinha? Melhor, “definitivamente” coisa de coxinha? (Você adora essa palavra, né?) Poxa, você disse que nada é definitivo, que só coxinha usa essa palavra, mas definiu um estereotipo do início ao fim. Melhor: limitou, definiu e deu certeza. (ué???) Não entendo, vc também é coxinha, né? Agora entendi, vc quer o seu padrão no lugar do padrão dos outros, nada diferente.

  175. Keity outubro 21, 2013 at 12:05 pm #

    Cara, esse texto me fez comprar uma coxinha de frango, deu vontade. uahuhausauhsahsais

  176. csr outubro 30, 2013 at 12:42 am #

    Lixo completo. O cara é o q ele mais teme ser.

  177. Anilton Lima novembro 20, 2013 at 11:07 am #

    Fazer análise, por si só é coisa de coxinha!!!!! Detesto gente que caga regras!! Acho muito ridículo a posição dos que acham que não fazem parte de nenhum grupo, acorda quem não faz parte de grupo algum é parte do grupo dos que acham que não fazem parte de grupo algum.
    Me identifiquei com algumas coisas e ri de outras sou meio coxinha? Parece que vc falou em causa própria, deve ter sido um coxa e pra parecer descolado mudou de posição, um coxinha no armário, kkkkkkk se liberta e vai pro shopping, kkkkkkkkk

  178. Debs novembro 27, 2013 at 12:27 am #

    Qual o problema de ser coxinha? Que mania o povo tem de ficar rotulando tudo e todos. Se o cara quiser ter um emprego estável, constituir família e usar camisa pólo, deixa ele. E se o cara quiser tatuar o corpo inteiro, ser artista plástico e usar roupas da Lady Gaga, deixe ele. Cada um faz o que acha melhor. Quem somos nós para julgar? E se você não quer ser “coxinha”, não seja. Acho que você não é mais nenhuma criança de 5 anos que aceita tudo que lhe é imposta.

    • mariolemes novembro 27, 2013 at 12:38 am #

      Engraçado. Eu não me lembro de nenhum momento ter dito que nego NAO PODE ser coxinha. Eu só estava dizendo O QUE É ser coxinha, ao meu ver.
      O mais gozado é que você vem aqui cantar a bola do liberê, mas está nitidamente querendo ME IMPEDIR de escrever sobre o que eu bem entender.

  179. Thais dezembro 5, 2013 at 10:03 pm #

    Mandem aê o manual com todas as regrinhas do que curtir, fazer e falar para podermos fazer parte do seleto grupo de esquerdistas não-coxinhas; afinal, cagar regrinha no gosto alheio é bem libertário e talz!

    • mariolemes dezembro 5, 2013 at 10:09 pm #

      Eu disse que coxinhas ouvem U2. Onde foi que eu falei que NÃO SE PODE ouvir U2?
      Eu disse que coxinhas comprarm boxes na FNAC. onde foi que eu falei que NÃO SE DEVE comprar boxes na FNAC?
      Eu levantei fatos que pra mim fazem parte da conduta de um coxinha. Em nenhum momento eu caguei regra nenhuma.
      Se eu disse O FATO de que vegetarianos não comem carne, estarei querendo IMPEDÍ-LOS de comer vegetais?
      Cuidado com como você interpreta as coisas, porque a cagadora de regras pode ser você, ao querer frequentar uma internet onde todos acham que o que você faz é admirável.
      Grande abraço no meio do cu.

  180. Thaís dezembro 9, 2013 at 4:25 pm #

    O autor desse texto me parece um belo dum coxinha!

  181. Ric dezembro 20, 2013 at 3:42 pm #

    A melhor definição e coxinha é a seguinte:
    “sou de esquerda, qualquer um que pense diferente de mim é coxinha”
    Simples assim.

    • AE janeiro 19, 2014 at 12:02 am #

      Até concordo com sua definição, Ric, os usuários mais frequentes do termo “coxinha” têm meio esse perfil mesmo…
      Mas independentemente da definição que se queira dar, o texto está divertido e acho dignas de pena tanto a turminha da esquerda raivosa que ficou pegando no pé do autor cobrando posturas políticas, coerência e o caralho quanto a dos mauricinhos “coxiformes” indignados por terem se identificado com o estereótipo…
      Poha, se o cara não pode escrever despretensiosamente, humoristicamente ou “do-jeito-que-ele-quiser-ísticamente” no PRÓPRIO blog, pára essa poha que eu quero descer!!
      Legal o texto, Mario Leme. Toca tua caravana e deixa a cachorrada ladrar…. rsrsrsrsrsrs

  182. leandro winchestein janeiro 5, 2014 at 4:35 pm #

    Muito bom o texto, mas pegue o proximo avião pra Cuba. (uiii coxinha com comentario cliche).

  183. thiago afonso janeiro 8, 2014 at 8:35 pm #

    Mario, sinceramente eu ri, ri porque eu ia lendo e sentindo toda a ironia e a “petulância” do texto. Irreverencia pura. Naturalmente, notei algumas semelhanças e diferenças entre a personalidade do Coxinha e a minha. Não acho o texto ofensivo. É questão principal é que vivemos em uma geração de “politicamente corretos” em “um tempo em que tudo ofende e nada espanta” ( Matéria a estética do choque – veja nº2, 2014 – que inclusive tem uma coluna do Lobão tratando sobre Coxas). O pessoal que se sente ofendido com o texto é basicamente o homem que se ofende com piada machista, o cara que não ri de piada de negro, loira e português. Vamos imaginar uma sala com varias pessoas, tendo um cadeirante no meio, no meio do encontro alguém solta uma piada sobre deficiência, todo mundo ri menos um – o coxinha – o cadeirante foi quem contou a piada. Eu entendi o espirito do seu texto, eu li da forma como devia ser lido, como um texto de blog, não é nenhuma matéria jornalistica ou tese de mestrado para ser lido com tanta seriedade como é julgado. Querem ler algo sério? leiam a ultima veja (e isso não é “coxisse”, é um grande rockeiro nacional dando uma lição aos esquerdistas de facebook.) Enfim. somos todos coxas para alguem, e ser coxa é como ser louco ou viciado, por que?
    Viciado diz – Eu não sou viciado. Louco diz – Eu não sou louco. Coxa diz? “isso não é coxisse”!!! HUAHUAHUAHUa #oscoxapira, isso é coxisse.
    Então, falando sério agora, ser coxa é exatamente a metáfora da coxa e o pastel. Ser bitolado. Ser o chato, o politicamente correto. Ser coxa não tem nada a ver com estereótipos visíveis e sim com adjetivos invisíveis, porem audíveis. Você não reconhece o coxa pela roupa, mas pela fala, pelas opiniões hipócritas a respeito de tudo o que possa imaginar. O coxa sempre tem uma resposta padrão: Ah, é relativo.” Falou o Einstein. O coxa é tão coxa, tão hipócrita, que ele é politicamente correto na internet, com o mundo admirando a pessoa brilhante que ele é, mas se esse cara te pegar na rua com um ou outro gato pingado vendo a cena, é capaz dele querer te agredir. Coxa gosta é de vender a imagem.
    “Ser coxa é relativo, uma pessoa pode ser coxa para uma e não para outra. Eu não sou coxa. KKKKKKKKKKKKK.”

    Abraços, cuidado com a rua,

  184. Maria do Socorro janeiro 13, 2014 at 9:30 pm #

    Se coxinha é isto tudo que você citou, eu te digo que quem não é coxinha é um fracassado, torcendo para que os outros se deem muito mal na vida. Enfim,invejosos em potencial. E o Brasil está precisando de muitos coxinhas.

  185. eldre janeiro 14, 2014 at 1:22 am #

    a parte do orgasmo quando bate o primeiro ponto… gargalhei, e quase alcanço o nirvana

  186. Edson janeiro 22, 2014 at 6:08 pm #

    Fodástico cara…muito bom!!!
    Uma leitura que trouxe alivio pra minha tarde estressante.
    Parabéns!

  187. Zadig janeiro 22, 2014 at 10:12 pm #

    Resumindo: coxinha é todo o otário que trabalha, é honesto e paga os impostos que financiarão a vide de gente “descolada” e “progressista”, como estudantes que demoram 8 anos para se formar, fumam maconha e adoram um mochilão (com bolsa da faculdade e ajuda do pápis, lógico!), por exemplo. :)

    • AE janeiro 22, 2014 at 11:00 pm #

      Mais ou menos isso, Zadig.
      Assinado: Coxinha (outro).
      rsrsrsrsrsrsrs

    • Fabrízio Michelon (@fabrimichelon) março 19, 2014 at 4:33 pm #

      A carapuça serviu kkkk

      É daqueles que baba artistas famosos mas quando o governo dá bolsa família pra miserável diz que sustenta vagabundo?

  188. Coxinha janeiro 29, 2014 at 3:30 pm #

    Que definição escrota… você deve ser um aba reta escrota que se acha o tal! ;)

  189. Alexander De Large fevereiro 2, 2014 at 6:46 pm #

    Excelente a definição !

  190. Luh Pires fevereiro 12, 2014 at 3:11 am #

    Nunca mais vou parar de rir >.< Mais que perfeito este texto!

    Curta E se ? Minha página anti coxinhas e não me impeça de divulgar minha página ok, isso é muito coxinha!!!!! kkkkkkkkkkkk

    https://www.facebook.com/Comuniquecriativo?fref=ts

  191. Bruno fevereiro 24, 2014 at 5:53 pm #

    Adorei hahaha ótimo texto… E ótima também as respostas para algumas pessoas huauhauhahuhauhua

  192. Christina fevereiro 26, 2014 at 3:38 pm #

    Meu Deus, eu sou coxinha. Cruzes, me identifiquei com tudo que foi falado.KKKKKK

  193. Maria Cristina Oliveira março 2, 2014 at 9:12 pm #

    Mario, encontrei seu blog porque estava procurando saber o que era ser coxinha, pois o Nando da novela Guerra dos Sexos (Gianechinni) vivia se referindo aos caras como “coxinha”. Adorei seu texto, estou me divertindo com eles. Parabéns ! Espero te ver ainda como redator de TV. Beijo . Você só tem 23 anos mesmo ??

    • mariolemes março 4, 2014 at 12:31 am #

      Obrigado pela leitura, Maria!
      Sim, tenho “só” 23 anos mesmo. Aliás, quase 24, mas é isso aí.
      Tomara, sim, que eu seja redator de TV. Adoraria :)

      Volte sempre!

  194. Isadora março 10, 2014 at 4:21 pm #

    Adoro Coldplay! Acho que encontrei meu lado coxinha :D obrigada pela elucidação, e o texto é divertidíssimo!

  195. Ângelo Moura março 15, 2014 at 1:38 am #

    Que coxinha que nada! Aqui em Minas é PÃO DE QUEIJO…

  196. Anne março 19, 2014 at 11:49 am #

    meeu que hilário esse texto. SUPER verdade!!!! posso ir a disney de vez em quando sem ser coxinha?kk

  197. Fabrízio Michelon (@fabrimichelon) março 19, 2014 at 4:36 pm #

    Acho que a definição vale uma atualização pós-junho de 2013: coxinha é aquele que chove no molhado, ou seja, que “é a favor da saúde/educação e contra corrupção”, que acha lindo artista famoso fazendo filantropia mas diz que bolsa família é compra de voto, que acha lindo o Mujica ter hábitos simples mas diz que Haddad andar de busão é compra de voto, que fica no Facebook xingando Sarney, Renan Calheiros, BBB, lepo lepo…

    Ah, só não gostei de uma coisa no texto: eu ADORO camisa polo e U2 huehuehe mas não vou deixar de gostar porque tu botou no texto que isso é coisa de coxinha. Eu gosto e ponto huehuee

  198. Max março 30, 2014 at 10:46 pm #

    Só de ler a primeira resposta do dono do blog já deu para perceber que tipo de classe que estamos falando: daquela que acha que estudar é besteira, que trabalho é besteira, que a vida é curta e bla bla bla. E sabe, nenhum “coxinha” tem problema em você ser assim, imagino que até seja bom para eles, veja bem, para quem quer entrar no mercado de trabalho, como você mesmo levantou, gente que não ta nem aí e quer curtir a “vida loka” é a melhor concorrência!

    O problema é que: O coxinha não precisa de mais coxinhas para ser coxinha ou ser feliz, mas o seu tipo de gente precisa e vai sempre tentar oprimir os outros, enquanto se acha libertador.. pobre alma.

  199. Maria Prinz abril 2, 2014 at 1:15 pm #

    Esqueceu dos funcionários públicos! coxinhas-mor da Republiqueta.

  200. joao abril 3, 2014 at 11:15 am #

    Achei bobo o texto. É meio estupido zombar dos outros só porque eles pensam diferente e tem objetivos diferentes na vida. Se o cara é um coxinha só porque cresceu num ambiente confortável e gosta de trabalhar, então não seria o destino de todos serem coxinhas no futuro, conforme se atinge um maior nível de desenvolvimento social?

  201. richard abril 3, 2014 at 12:54 pm #

    Só o fato de você DEFINIR o significado do pseudo-apelido “coxinha” despertou a ira dos que se viram nele ou dos que criticam tudo, mesmo sendo apenas uma definição, ja partem para o pessoal, tentam se auto-explicar o porque você escreveu isso e partem para o atque! affffffff…
    primeira vez que entrei no Blog, Ótimo texto. Parabens! Grande abraço.

    • TEU CU maio 9, 2014 at 4:31 pm #

      é porque o bundao do autor pegou tudo aquilo que ele nao acha legal e definiu como coxina… esquecendo que a ideia imunda e a pobre percepção que ele tem da vida, da sociedade e do coletivo nao passam de teorias fajutas que ele usa para AGREGAR VALOR A PROPRIA IMAGEM, tentando parecer um pseudo-revolucionario ou qualquer outra babaquice que torne a vida real dele menos desprezivel!

  202. Bruna abril 26, 2014 at 2:07 am #

    Oh, não estou entendendo a “fúria” de alguns comentários daqui. O texto só está explicando o termo com um pouco de humor. Hoje em dia tudo tem que ficar seguindo extremamente o “politicamente correto”, não pode postar um texto em paz. Aliás, eu me identifiquei com várias coisas (principalmente com a parte de marcar ponto), isso me torna uma quase “coxinha” e não me ofendi com isso. O texto não diz que coxinha é um imbecil ou qualquer coisa ruim. Achei hilário!
    Não sejam tão complexados! Caso se identifiquem com o texto, lembrem-se que coxinha é uma delícia! ;)

  203. cristina soares abril 30, 2014 at 8:39 pm #

    ser cochina é o máximo, deixa os recalcador e beijinho no ombro !! kkkkkkkk

  204. TEU CU maio 9, 2014 at 4:28 pm #

    BLOG TOSCO E MAU EDITADO, MOSTRA TODOS OS COMENTARIOS NA MESMA PAGINA.

    TEXTO MONGOL E SEM NEXO, GENERALIZANDO E IDIOTIZANDO.

    O AUTOR OU E UM COXINHA, OU UM VAGABUNDO, QUE NAO TRABALHA, NAO TEM FAMILIA, NAO ESTUDA, È BURRO PRA CARALHO E TIRA PESSIMAS NOTAS (Nota-se pelo texto).

    SO DO BUNDAO TER UM BLOG E EXPRESSAR ESSE TIPO DE IDEIA SEM PROPOSITO PODEMOS PERCEBER QUE ELE È UMA BIXA VAIDOSA QUE DESEJA ATENÇÃO E NADA MAIS!

    SUAS IDEIAS FEDEM!

    • mariolemes maio 13, 2014 at 6:58 pm #

      Obrigado, cara.
      É sempre um prazer receber tanto carinho dos leitores.

      Volte sempre!

  205. EUGENIO maio 22, 2014 at 8:06 pm #

    Se alguém chegar até meu comentário aqui embaixo, gostaria de dizer que senti um alívio muito grande quando li esse texto. Vivem me chamando de coxinha e eu sempre achei que fosse algo ruim, pejorativo. Agora entendo que é algo bom, é aquilo que sempre busquei na vida: tranquilidade, família, trabalho, dignidade.
    Obrigado Mario Lemes por sua esclarecedora definição de coxinha. Eu sou e sempre serei coxinha. Simétrico e oleoso.

    • mariolemes maio 22, 2014 at 8:40 pm #

      Parabéns, Eugênio. Seja feliz na sua estufa! ;)

  206. Juliana junho 2, 2014 at 2:12 am #

    Texto extremamente maniqueísta e sem desenvolvimento de raciocínio. E o mais legal: o blogueiro fica putinho com os comentários!
    E o mais legal do mais legal: ver comentário de gente dizendo que quem critica é analfabeto funcional… hauahuha… quero ver quem postou isso encontrar pelo menos dois argumentos plausíveis!

    • mariolemes junho 10, 2014 at 3:24 pm #

      “Quero ver quem postou isso encontrar pelo menos dois argumentos plausíveis.”
      Olha ela, gente.. desafiando.
      E olha eu aqui, preocupadíssimo em vencer esse desafio.

      • Juliana setembro 5, 2014 at 12:32 am #

        Mas preocupado em rebater qualquer comentário ;)
        Putinho mesmo!

      • mariolemes setembro 5, 2014 at 4:13 am #

        QUIRIDA, haha, esse é o post que mais tem acessos no meu blog até hoje (foi postado há dois anos).
        Eu não sei se você sabe, mas toda vez que alguém o acessa, eu ganho um troco. rs.
        Quanto mais coxinhas como você vierem aqui, mais eu vou ganhar :)
        Então pode ter certeza que se tem uma coisa que eu não tô é “putinho”.

      • Juliana setembro 5, 2014 at 9:37 am #

        Começou com querida em maiúsculo, nem preciso dizer mais nada. Quanto a ganhar dim dim dessa forma, muito coerente com a posição ideológica que subjaz de seu texto. Nem preciso falar mais nada, mesmo.
        PS: não sou coxinha, sou supercoxinha de acordo com sua definição (e cheguei a conclusão que se ser isso é ruim, pelo menos é melhor do que ser um tipinho como você que cria um texto desses e depois se vangloria de ganhar dinheiro dessa forma… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)

      • mariolemes setembro 5, 2014 at 2:40 pm #

        Eu gosto de ganhar dinheiro com o conteúdo que eu produzo sim. Aliás, todos os sites, todos os canais de tv, emissoras de rádio, etc, os que você gosta e os que você não gosta, todos eles ganham dinheiro dessa forma e não há NADA de errado nisso.

        Muito obrigado pela visita!
        Volte sempre ;)

  207. Fernanda junho 4, 2014 at 2:54 pm #

    Só mudaram o nome. Mais do mesmo. Ser humano é imbecil em qualquer canto do planeta

  208. Zeca junho 6, 2014 at 11:57 pm #

    Muito bem, duas coisas eu preciso que me esclareças, meu guru :
    Que camisa devo usar (além da “de Vênus”), já que não se pode usar pólo para não ser coxinha.. Tu usas regata, social ou andas sem camisa para mostrar o corpo sarado?
    Ce naum percisamu iscreve certo nam tem pirigo di arguen nao intende o qui nois que dize bro? É nois na fita né?

    • mariolemes junho 10, 2014 at 3:21 pm #

      Zeca, meu querido. Use a camisa que quiser. Se quiser se coxinha, seja. Se não quiser, não seja.
      Não estou aqui pra dizer o que você pode ou não usar, estou aqui para traçar um padrão de comportamento no qual, sinto muito, talvez você se encaixe. Ou não.
      Não é porque tracei esse comportamento que quero impedir as pessoas de se encaixarem nele.
      Vivemos num país livre, onde você tem o direito de usar a camisa que quiser e eu tenho o direito de te achar um bosta.
      Muito obrigado pela leitura.

  209. retratosdeflaviocolker junho 11, 2014 at 5:56 pm #

    Preconceito digno do racismo.. quem propaga preconceito conspira contra os direitos humanos. Abaixo a classificaçao de seres humanos.

  210. Camila junho 11, 2014 at 6:24 pm #

    Desculpa gente
    Mas eu nao sei o que U2 e coldplay tem a ver com os coxinhas
    Alguém me explica?

    • Hank junho 19, 2014 at 3:17 pm #

      hmm, não sei explicar, mas que U2 e Coldplay são bandas “coxinha””são! Sempre que ouço essas bandas vem cheiro de fritura no ar. Mesmo assim curto U2!!!
      Espero que alguém possa te ajudar mais do que eu.

  211. Carla Cerqueira junho 19, 2014 at 6:45 pm #

    Obrigada! Venho ouvindo muito sobre coxinhas nos últimos tempos e não entendia muito bem a comparação, pois coxinha é um salgado muito popular, rsrsrs….mas o seu excelente e bem humorado texto elucidou tudo! Nos comentários vemos coxinhas, esfihas, croquetes e afins, todos se mordendo de raiva por terem sido sumariamente descritos, kkkkkk

  212. Camacho junho 22, 2014 at 3:59 pm #

    Ah bom, então bacana agora é viver do dinheiro do contribuinte através do bolsa família?! Texto cheio de recalque e que só serve para agradar os PTralhas que vivem mamando nas tetas do governo.

  213. Rock junho 23, 2014 at 11:33 pm #

    Por que associam a imagem tosca do coxinha com o rock? Não é a primeira vez que vejo textos de esquerda atacando o rock. Até onde sei esse tipo de perfil ( já que é para generalizar) descrito acima é do cara que curte sertanejo, axé ou qualquer ritmo que esteja em alta no momento. Mas não convém falar mal desses ritmos, né? Porque aí seriam vocês a desagradar a grande maioria. Será que além das coxinhas não teriam a classe dos enroladinhos, aquele cara que vive para criticar a coxinha, mas também só tem um tipo de recheio ( comparação podre, mas estou falando sua língua). Aquele cara que, assim como o coxinha, vive cheio de frases prontas na ponta da língua (só que de esquerda). Que se danem os coxinhas, os enroladinhos e os Quibes ( se tiver), apenas parem de atacar o rock! Flw.vlw.

  214. Eduardo julho 8, 2014 at 11:05 pm #

    O melhor é ler os comentários.

  215. Alberto julho 15, 2014 at 6:12 pm #

    Concordo plenamente com a Jaqueline. Os esquerdistas são recalcados, não suportam conviver com quem conquista todos os sonhos com o suor do nosso TRABALHO!

  216. Patricia de Sampa julho 28, 2014 at 5:30 am #

    Não sei o que esse pessoal tanto criticou o seu texto. Eu adorei: bem escrito, bem humorado, descrição perfeita. Para mim, vejo nisto uma ponta de despeito; talvez por terem se reconhecido na descrição, quem sabe? Enfim, parece que tem gente que se motiva mais fazendo críticas do que elogiando. Quanto a classificá-lo como esquerdista, isso já virou mania nacional. Aqui, chamar alguém de esquerdista ou de direitista, se tornou xingamento, kkkk… Santa ignorância!

  217. Guilherme julho 29, 2014 at 3:59 am #

    Cara, boas definições para mostrar para alguém que deseja largar do vício de traçar coxinhas por aí! Por outro lado, com todas essas definições e comparações, conseguiram estragar com mais uma coisa que havia de ser boa! Não tem comparação. Coxinhas nascem na rodoviária e morrem no máximo a 5min do balcão, na mão e na barriga de alguém. Além disso, é puro delírio de cachaça! kkkkk

  218. Alexandre Augusti julho 29, 2014 at 1:12 pm #

    Gostei do texto, pq me esclareceu o pq tanta gente me chama de “coxinha”. Mas me senti um pouco ofendido também (mesmo sabendo que esse não era o intuito do autor).
    Qual o problema de ser “coxinha”? Qual o problema de ser “pequeno burguês”?
    Não somos livres pra buscar a felicidade da melhor maneira que nos convém?
    Seja sendo gay, hétero, transsexual, muçulmano, israelita, branco, preto, azul, coxinha ou “churros” (oposto de coxinha)?
    E daí que eu quero “é constituir família, sustentar a mulher e os filhos, e que todos tenham boas notas no colégio e que vão pra Disney todo ano.”?
    Se eu sou feliz assim, o que as pessoas tem a ver com isso?
    Não entendo pq as pessoas gostam de rotular tudo ou se intrometer na vida dos outros. Será que é por prazer?
    É tão difícil cada um viver na sua, e deixa o outro ser feliz da maneira que lhe convém?
    É tão difícil assim coexistir em paz?

    • arianimartins setembro 3, 2014 at 5:42 pm #

      É Alexandre, também não entendi oq tem de errado ter uma opinião contrária, ser assim ou assado… Se você é certinho, trabalha e bate o ponto vc é um coxinha, que não liga para os necessitados (oq uma coisa não impede a outra e não tem nada a ver)… se é “churros”, você é herói…
      Mas se é um coxinha que se importa com os outros, você está encima do muro.

      Hoje em dia é assim, te rotulam pela marca da roupa que veste e se usa roupas caras você é mal visto, não interessa a sua opinião, oq faz no dia a dia e o quanto ralou pra conseguir oq tem. Te rotulam por uma opinião completamente aleatória e te condenam a ser coxinha pro resto da vida… parece que tudo virou política, esquerda e direita, preto e branco, vermelho e azul.

  219. Kace agosto 20, 2014 at 1:02 am #

    Cara, o texto é ótimo! Adorei sua forma de escrever e esclarecer as coisas de um modo tão bem humorado, vou começar a acompanhar o blog haha. E essas pessoas dos comentários cheias de mimimi eim? Mds, q bando de coxinhas!

  220. Balthus agosto 31, 2014 at 9:05 pm #

    No meu tempo “coxinha” eram os PMs que viviam nas padarias da vida filando lanche, sobretudo coxinhas. Como os conceitos mudam!

  221. Victor Marona setembro 1, 2014 at 12:06 am #

    Pô…Mario Lemes, estou transtornado porque acabo de descobrir, aos 66 anos e meio, que sou um coxinha velho, de acordo com o “conceito”, ou seria “definição” ?

  222. arianimartins setembro 5, 2014 at 2:50 pm #

    Mário, se sou coxinha ou não eu não sei, me identifiquei com algumas coisas, com outras não. Mas de qualquer forma o seu texto foi muito bem escrito! Parabéns!
    Aliás, as pessoas poderiam parar de rotular umas as outras, né? =( acho que não existe um 100% coxinha e um 100% não coxinha…
    Talvez todos nós fomos/somos coxinhas em algum momento!!!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Coxinha, você curte? | SOS Solteiro - maio 16, 2013

    […] Tudo sobre os coxinhas AQUI […]

  2. Sobre ser diferente, sobre ser igual - Maçãs Verdes - maio 20, 2013

    […] dia publicaram um post definindo o que as pessoas chamam de ‘coxinha’. Como esse termo, na área que trabalho atualmente, é um dos mais utilizados para […]

  3. Serei eu um coxinha? | Registro Falho - maio 26, 2013

    […] Reflexão a partir do texto “O que é um coxinha?”, publicado em http://trazdoarmario.com/2012/09/02/o-que-e-um-coxinha-o-significado-definitivo/. […]

  4. Ei, você, sai do meu protesto - Textos e Mensagens para Reflexão - junho 19, 2013

    […] caminhos que não podemos controlar. Então se você quiser entender melhor esse termo, clique aqui, ou […]

  5. As redes sociais e as ruas - junho 22, 2013

    […] infernal todos os dias). São os ditos reacionários, conservadores ou, na expressão mais recente, coxinhas. Óbvio que nenhum deles atende por esses nomes, ok? De modo geral, essas pessoas querem que os […]

  6. O que é um coxinha? – O Significado Definitivo | MOTOCANDO… - junho 22, 2013

    […] O que é um coxinha? – O Significado Definitivo. […]

  7. As redes sociais e as ruas | Hey Machista meu orgasmo é uma delicia - junho 29, 2013

    […] infernal todos os dias). São os ditos reacionários, conservadores ou, na expressão mais recente, coxinhas. Óbvio que nenhum deles atende por esses nomes, ok? De modo geral, essas pessoas querem que os […]

  8. Tiene espejo en casa? - RONAUD.com - julho 31, 2013

    […] levo menos a sério argumentos políticos que usam o termo ~ coxinha ~ para se referir à classe […]

  9. Manteiga e margarina – uma análise sobre pessoas. | Traz do Armário - novembro 23, 2013

    […] depois veio a analogia de pessoas petit gateau e pessoas algodão-doce, até o polêmico post sobre o significado da gíria coxinha (que até hoje me rende elogios, xingamentos, pedidos de autógrafo e um certo medo de andar na […]

  10. Vinagre e Coxinha - Jornal Itapeva Times - dezembro 9, 2013

    […] Portugal; e mesmo os paulistanos mais coxinhas (não sei se em Itapeva se conhece essa gíria, este texto tem o significado definitivo) perceberam que a diferença entre quem estava certo e quem estava […]

  11. Coxinha recheada de Carne Seca e Catupiry | A Cozinha Sincera - janeiro 12, 2014

    […] A definição acima refere-se à receita clássica de coxinhas.  Mas eu não gosto de receitas sem personalidade, ainda mais Coxinhas, pois essas quando tendem a ser conservadoras podem ser confundidas com “outros” tipos de  Coxinha. […]

  12. O Significado Definitivo | andarilhochico - janeiro 21, 2014

    […] O que é um coxinha? – O Significado Definitivo […]

  13. Glossário : Passa Palavra - janeiro 23, 2014

    […] C cadarço (Br.): atacadores calçada (Br.): passeio Câmara Municipal (Br.): assembleia de vereadores, órgão legislativo no município Câmara Municipal (Port.): Prefeitura camelô (Br.): vendedor ambulante câncer (Br.): cancro cara (Br.): sujeito, gajo cara de pau (Br.): lata, desplante Carlitos (Br.): Charlot de carteirinha (Br.): fiel, convicto catar (Port.): obter, conseguir catraca (Br.): torniquete (é um termo recorrente nos artigos brasileiros sobre o aumento dos preços do transporte e a mobilidade urbana, porque o sistema de pagamento nos autocarros se processa mediante uma catraca que o passageiro empurra com a mão e o cobrador controla com o joelho) catracaço (Br.): saltar por cima das catracas, dos torniquetes chapa (Br.): lista eleitoral chumbar (Port.): reprovar, levar bomba chungas (Port.): ralé, bandidagem colar de boa (Br.): dar-se bem com uma pessoa cômodo (Br.): divisão (de uma casa) comunicação social (Port.): mídia conversa de chacha (Port.): falar de futilidades e ninharias copiógrafo (Port.): copiadora mecânica coroa (Br.): pessoa que já não é nova e ainda não é velha cortiço (Br.): aglomerado de habitações exíguas, como as ilhas no Porto cospe-fogo (Br.): artista que lança chamas pela boca coxinha (Br.): um tipo particular da chamada classe média, mas para perceber o termo pode ler-se, por exemplo,  aqui […]

  14. O que é coxinha? - Texto Mensagem Reflexão - RONAUD.com - maio 5, 2014

    […] Aqui, um texto mais preciso sobre um significado mais comportamental e menos político do termo coxi…. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 150 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: